Casa do Chef: Boas histórias e ótimas receitas com peixes e frutos do mar!

Esta semana fomos até a Zona Sul da Capital Paulista para conhecer um restaurante sobre o qual eu tinha muita curiosidade, a Casa do Chef, comandada pelo chef português Eduardo de Castro.

Todo o ambiente do lugar, que está aberto desde junho de 2018, traz consigo conforto e hospitalidade. O espaço abriga 130 lugares, além de um bar de tapas e um lounge na área externa que vale muito conhecer, principalmente em dias quentes.

Você notará uma mistura simpática de Brasil, Portugal e Espanha, seja no décor, na adega (criada com extremo carinho pelo chef, que é um apaixonado por vinhos) ou no menu. Neste, muitas receitas clássicas ibéro-lusitanas: peixes frescos, frutos do mar e bons acompanhamentos. Durante todo o jantar a impressão foi que eu estava em um restaurante da saudosa Galícia, e isso me encheu de ternura e boas lembranças palatinas.

Iniciamos nossa degustação com as entradas mais requisitadas da casa, o Bombom de alheira com amêndoas, mel e endívia (R$60,00) e os Bolinhos da Serra (R$70,00). Honestamente eu nunca curti muito o sabor intenso da alheira, mas a preparada aqui é uma daquelas raras exceções: crocante por fora, o enchido defumado foi deliciosamente executado com amêndoas, mel e endívia, ingredientes que suavizaram e bem o sabor da pasta contida em seu interior. Bravo! O mesmo vale para o bolinho de bacalhau, o que costuma ser insosso para mim virou “ouro” na minha boca. Toda esta sensação inédita foi provocada pelo recheio feito com queijo da Serra, que simplesmente criou uma luz sinergética em torno deste bolinho. Adorei!

Outra entrada indispensável do Chef foi o Camarão de Angra (R$70,00). Bixo, que primor! Todo o crustáceo foi cuidadosamente posto sob um delicioso e delicado creme de manga, que estava com a textura e o sabor que beiravam a perfeição. Além disso, cada camarão estava com um rosáceo sadio, um perfume sedutor e uma maciez absurda. Uma das principais premissas de Eduardo é que seus frutos e peixes sejam de primeira linha, e nesta receita eu senti profundamente esta filosofia. Fãs de camarões não devem dispensar.

Fãs de bacalhau não devem perder o Bacalhau da Mena (R$120,00). Que elegância de prato! Tudo colocado com esmero, o diferencial deste peixe foi que o ovo cozido virou espuma, trazendo delicadeza para o paladar e o tartufo feito com azeitonas pretas fez um contraponto interessante com o peixe macio e de sabor tímido. Os brócolis e as batatas deram colorido e sustância. Só comi parecidos em Portugal. Se é fã deste peixe, vemmmmm!

Outra receita que eu amei foi o Bife à Moda do Porto (R$65,00). Farto filé mignon com finíssimas fatias de jamón. O molho feito à base de café faz a liga com todo o resto, trazendo um energético sabor à boca. Eu adorei a combinação das texturas e dos sabores, café devidamente utilizado em receitas cai bem com tudo nesta existência. Se você estiver buscando novas leituras para seu filé, vem experimentar esta receita criada em Porto. Fantástica!

E de sobremesa não dispense o Mousse de Chocolate (R$30,00). Você pode até ver outras receitas diferentes para o seu grand finale, mas volto a repetir, não dispense o mousse, principalmente os chocólatras! Feito com chocolate meio amargo, creme de leite fresco e amoras, eu comi quase ajoelhada, que cremosidade, e o creme de goiaba que vem junto causa explosão de sabores. Sem exagero, este mousse entrou para os top 3 da minha vida!

Lugar com clima bom, chef supersimpático, boa comida, preços que fazem jus ao que é consumido. Única coisa chatinha é a distância do lugar, mas sugiro que insista na visita, valerá cada segundo este agradável passeio. Quero voltar!

Serviço

Casa do Chef Eduardo de Castro
Endereço

Rua Marechal Hastinfilo de Moura , 233, Morumbi – São Paulo
Telefone
(11) 2528-0175

Horário de funcionamento
Terça a sexta: 12h às 15h30 e das 18h30 às 23h

Sexta e sábado: 12h às 16h e das 18h30 a 0h
Domingo: 12h às 17h

Crédito Imagens: Roberto Salgado

 

Curta e siga:

Confraria Gourmet: Realçando sabores vegetarianos com criatividade.

Esta semana fomos conhecer um restaurante novo no pedaço quando se trata de comida vegetariana, lacto-free e outras delícias da gastronomia saudável, o Confraria Gourmet, comandado pela chef Jennifer Kreibich, que não oferece somente gastronomia saudável, ela consegue com maestria equilibrar os ingredientes e extrair o melhor de cada combinação proposta pelo seu menu autoral.

Experimentamos primeiramente as Bruschetas artesanais (R$16,00) que a casa oferece: tomate com manjericão e abacate com pesto de tomate, ambas no pão feito na casa. Putz, que delícia! Tudo muito simples, nada pretensioso, mas a combinação equilibrada e o frescor dos ingredientes nos trazem uma sensação palatina leve e com muito mais aromas. O molho do tomate estava fresco e adocicado, o cheiro sutil do manjericão inebriava meu olfato e as tiras fininhas do abacate quase que desmanchavam na boca.

Outra entrada mais curiosa ficou por conta das Coxinhas funcionais veganas com recheio de cogumelos e palmito cremoso (R$22,00). Gostei da massa crocante de batata doce, um pouco forte, mas fiel ao sabor adocicado da raiz, e o recheio também não decepciona. Mas a combinação de texturas e sabores não deu liga para meu paladar, e se você está procurando um fiel paliativo gourmet para as queridinhas dos botequeiros, não será a melhor das opções.

Os pratos principais têm opções legais e bem diversificadas para todos os gostos. Optamos inicialmente pela Moqueca de banana da terra com arroz integral de castanhas e farofa verde (R$48,00). Para mim tudo que é preparado com banana da terra é bom demais, né minha gente? E continuo com esta filosofia após experimentar a receita daqui: pedacinhos macios da fruta, mergulhados em um molho encorpado e com muito sabor característico desta receita. O arroz soltinho e a farofa levemente salgadinha fazem o dueto perfeito com o protagonista. Não se perde em nada se compararmos às moquecas clássicas. Ao final deste prato tive aquela sensação de que o peixe não faz falta alguma.

Outra receita que a gente curtiu foi o Escondidinho vegetariano feito de baroa com recheio de mix de cogumelos, legumes e ervas aromáticas (R$54,00). Uma versão levíssima do prato, sem perder a essência de sua composição. Cogumelos macios refogados e legumes diversos em cozimento perfeito criavam sinergia e combinavam loucamente bem com o purê cremoso. Me esbaldei.

Mas o melhor prato da noite foi o Cuscuz de quinua com camarões flambados sobre creme de abóbora e curry (R$65,00). Os crustáceos estavam cintilantes e sua carne perfeita, ligeiramente resistente à mordida, e quando passada pelo purê adocicado de abóbora com o toque apimentado do curry era uma explosão de sabores. O cuscuz leve feito de quinua combinava os sabores, trazendo consigo textura interessante, e olha que nem sou fã de quinua, mas poderia comer um balde dessa preparação!

Aqui tem sobremesa boa! Não dispense a Tortinha vegana de tâmara com recheio de morango (R$24,00). Além de ter uma belezura de visual, o sabor doce e a textura macia da massa com o azedinho da fruta causam boas sensações. Nada exagerado nem doce em excesso. Pelo contrário, delicado e equilibrado. Caí de amores.

Lugarzinho aconchegante, com várias mensagens espalhadas pelas paredes, comida boa, cheia de frescor e leveza. Vale lembrar que aos domingos elas servem brunch a partir das 11hs da manhã (Tô louca para ir!), e tudo isso num salão de esquina em uma das ruas charmosas da Bela Vista. Quero voltar mais vezes!

Serviço
Confraria Gourmet
Endereço: Rua Herculano de Freitas, 300 – Bela Vista
Telefone: 3231.3169
Horários: De terça-feira a domingo, das 11:30 às 15:00 horas e das 19:00 às 22:00 horas
Lugares: 26
Cartões: todos
Facebook: Confraria Gourmet
Instagram: @confrariagourmet

Crédito Imagens: Roberto Salgado

 

Curta e siga:

JUNJI- Casual e com sabores impressionantes!

Após dois anos de ausência, revisitei um dos restaurantes nipônicos mais interessantes dentro de um shopping center, o Junji do emblemático chef Jun Sakamoto. Numa versão mais descontraída que a matriz, o lugar oferece aos seus visitantes os tradicionais sushis, sashimis e teishokus do chef, tudo com os mesmos atrativos e qualidades que seu precursor mantém em todas as suas casas.

Iniciamos o nosso almoço com um dos clássicos do menu Ovo à milanesa trufado (R$24,50). Amo ovo e detesto azeite trufado, dito isso, tenho que confessar, na vida há exceções e esta receita é uma delas. Tudo feito com primor, empanação beirando a perfeição, ovo com cozimento equilibrado e gema molinha e ovas de capelim que dão uma camuflada sutil no azeite. Tudo feito com esmero. Queria mais!

Outra receita imperdível fica por conta do Atum selado com creme de wasabi (R$75,00). O visual já te encantará de cara, mais parece um mosaico comestível. A gente sabe que vai comer um atum bom quando se repara no tom do peixe, que tinha um tom rosado brilhante, do jeito que eu gosto: a crosta firme sem se desmanchar antes de chegar à boca, carne do peixe macio e com sabor de mar “adocicado”. Eu faria apenas um alinhamento nesta receita: eu deixaria as tiras do peixe um pouco mais fininhas. De resto estava MARA….

Sashimi para mim é algo indispensável em qualquer restaurante japa, é onde está o termômetro da cozinha, do tipo se o sashimi for bom, o resto caminha bem; mas, caso contrário, nem me animo muito em ir adiante. Pedimos o Sashimi especial (R$129,00) carapau com gengibre e cebolinha, linguado, robalo e beijupira são boas pedidas para quem deseja sair do menu trivial. Cada peixe traz consigo sabores emblemáticos e distintos, além de texturas inéditas ao palato. Eu adorei este descobrimento.

E continuei nesta linha também na hora de pedir os Sushi (R$85,00), ao invés do a La Carte, preferi ir novamente no Especial Misto que continha os mesmos peixes, mas o que mais me deixou saudades, foi o sushi de Robalo; o arroz foi envolto com Shissô, uma folha que tem um sabor parecido com hortelã e por isso exala um frescor inacreditável, que junto com o peixe e o arroz, bicho,  explodiu uma sensação aromática incrível.

Vocês podem me achar meio cafona, mas eu adoro Uramaki de Salmão (R$38,00), podem me julgar à vontade, mas a real é que toda vez que eu vejo no menu eu tenho vontade de comer, e hoje eu não deixei passar em branco. Nem preciso dizer como o daqui é mais sofisticado em relação à grande maioria dos restaurantes  que servem a mesma receita. Cubinhos perfeitos, onde cada ingrediente foi minuciosamente escolhido. Se você é cafona como eu, experimente Uramaki de salmão  do Junji.

Junji creme brulle

Sobremesa de restaurante japa nunca é entusiástica, mas aqui você encontra boas opções como o Creme Brulée de chá verde (R$19,50) (Bem levinho e pouco açucarado) e o Sorvete de maçã verde com gelatina de sakê verde (R$21,00), ideal para dias ensolarados.

Lugar casual, com varanda legal para almoçar, serviço gentil, preços válidos. Onde Jun Sakamoto atua tenha certeza que a decepção gastronômica é quase zero. Vale conhecer!

Serviço
Junji
Endereço: Shopping Iguatemi – Av. Brg. Faria Lima, 2232 – Jardim Paulistano, São Paulo – SP, 01452-000
Horário: segunda-feira 12:00–15:00, 19:00–22:30
terça-feira 12:00–15:00, 19:00–22:30
quarta-feira 12:00–15:00, 19:00–22:30
quinta-feira 12:00–15:00, 19:00–23:00
sexta-feira 12:00–15:00, 19:00–23:00
sábado 12:00–23:00
domingo 12:00–22:00
Telefone: (11) 3813-0820

Crédito Imagens: Roberto Salgado

 

Curta e siga:

Bar Candeeiro oferece delicias da cozinha brasileira sem frescura!

Esta semana tive a chance de voltar ao Candeeiro, um lugar pensado para os amantes da boa culinária brasileira. Ele está localizado nos Jardins, onde era o antigo Obá, restaurante que durante anos foi um dos tailandeses queridinhos da cidade.

 Agora a proposta é outra, o Candeeiro exala um ambiente mais alegre e com alma brasileira, onde você poderá ouvir boa música, tomar bons drinks feitos pelo barman ZULU e se esbaldar com petiscos simples e saborosos, como mandioca frita ou um crocante bolinho de arroz.

E assim eu comecei minha noitada, com uma das entradas mais solicitadas pelos paulistanos de plantão, Coxinha Caipira (R$22,00). Aqui não rola a versão tradicional, a massa é feita com mandioquinha e recheada com galinha caipira.  Ingredientes simples também, porém denota mais sabor e doçura à tão amada coxinha. Também vale mencionar a sua crocância que estava no ponto perfeito! Comi várias….

Outra entrada indispensável e especial do bar são os seus Acarajés (R$16,00), feitos com massa de feijão fradinho e servidos com camarão seco, caruru, vatapá cremoso, vinagrete e pimenta. Sinceramente? Prefiro esta versão do que as que eu vivo comendo quando vou a Salvador. Os bolinhos daqui são mais suaves, com texturas mais leves e fritos em azeite de dendê de forma mais sábia. É tão avantajado que, se bobear, você vai querer repetir e não comer mais nada. Para comer como se não houvesse amanhã!

E se o teu lance é ficar nas fritadas, então embale com os Croquetes de Costela (R$22,00), comi quase que ajoelhada! Feito com batata, chega à mesa bem recheado, com carne farta totalmente no ponto e molhadinha, e com uma bela fritura. Adoro!

Pratos principais? Claro que sim! E fui logo pedindo o Picadinho de Filé (R$48,00). Ok, não é um prato nordestino, mas sempre quando vejo no menu eu literalmente não resisto, faz parte do meu DNA paulistano amar picadinhos (risos). A chef prepara as lascas macias com o molho da própria carne, o que eleva o sabor em muitos decibéis. O picadinho daqui ganha companhia saborosa: pastel de queijo da Serra Canastra, ovo pochê, feijão, tartar de banana (sensacional!) e farofinha da casa. Bem formatado, trazendo um mix de simplicidade com toques requintados de chef que aprecia realizar uma boa receita. Amei!

Quer uma pegada mais leve e com cara de nordeste? Então vá de Moqueca de Camarão (R$52,00)! Já comi duas vezes aqui e não resistirei em pedir pela terceira vez, quando retornar. Nesta segunda experiência entendi que o lance da chef Tamires Xabregas é a farofinha da casa que ela faz (a mesma que acompanha o picadinho), que tem um sabor agridoce e uma consistência que dá uma boa sensação ao palato, muito especial! Os camarões eram generosos e macios, e os pedacinhos de banana que acompanham o molho dão aquele sabor doce necessário. Quem tem um paladar nostálgico, como o meu, vai amar esta receita que tem um quê de Bahia, só que com graus de leveza acima do esperado.

E se ainda tiver fôlego para uma das sobremesas da casa não dispense o Cuscuz de Tapioca e Coco (R$12,00), uma combinação certeira e extremamente deliciosa. A consistência suave e reconfortante do bolinho cremoso, coberto generosamente com leite condensado e coco ralado na hora, nos traz aquela sensação afetiva que só um doce caseiro é capaz de proporcionar.

Lugar simpático, com serviço gentil, chef que sabe o que faz e preços camaradas, tomara que o Candeeiro vingue no cenário gastronômico da cidade, porque estar ali é muito bom! E tenha certeza que todos que passam por ali são contagiados pela energia encantada que ele oferece aos seus visitantes.

Serviço
Bar Candeeiro
R. Dr. Melo Alves, 205
Cerqueira César, São Paulo – SP
Tel: (11) 3086-4774

Credito Imagens: Roberto Salgado

Curta e siga:

Antonietta Cucina: Italiano com sabores vibrantes!

Esta semana eu finalmente fui conhecer o novo Antonietta Cucina dos restaurateurs e amigos Milton Freitas e Alessandro Tagliari. Por razões que o destino não explica, eu ainda não tinha conseguido desbravar o novo espaço, e que lugar maravilhoso que eles criaram para abrigar a nova encarnação do primeiro restaurante do grupo que hoje conta com mais três empreendimentos gastronômicos (Taka Daru, Bar Candeeeiro e Jacarandá), que nos encanta há tempos com a sua gastronomia italiana legítima e confortável.

Sofisticado e luxuoso na medida, uma luz confortável e música que te leva para longe são apenas algumas qualificações que você irá perceber logo de cara. Mesas confortáveis, louças atraentes e serviço impecável.

Iniciamos o nosso jantar com o Battuta di manzo al coltello (R$54,00), filé mignon Angus VPJ cortado na faca e defumado na hora, com picles de mostarda, rabanete e maionese de páprica. Primeiramente vale mencionar a elegância visual do prato, em seguida o sabor delicado e a textura macia da carne. Que refinamento do chef no preparo e na finalização! Os demais ingredientes só agregaram valor à receita. Na vida o que existe é carne bem ou mal-feita, esta aqui é muito caprichada, sem excesso de sal. Perfeita!

Outra sugestão de entrada que tem a cara do lugar é a sua clássica Tavolozza di salumi e formaggi (R$54,00). Aahhh, pessoas que me conhecem sabem que eu jamais dispenso uma boa tábua de embutidos, simplesmente os amo com todas as minhas forças, e o Antonietta disponibilizou uma em seu menu digna das salumerias italianas. Salame, Pancetta, Copa, tudo cortado bem fininho, para que proporcionasse um toque sedoso ao comê-las com as mãos, e sem mencionar o frescor que sentia. O pãozinho macio e os queijos suaves que acompanham criam a sinergia perfeita.

Entre os pratos principais escolhemos primeiramente o Tortellini del dito mignolo ala panna (R$68,00), massa recheada de presunto curado, mortadela italiana e lombo de porco ao creme de queijo parmesão. Em um primeiro momento você pode não dar muita bola ao prato, pelo visual pouco atraente, mas logo na primeira garfada qualquer arrependimento será transmutado. Massa macia recheada equilibradamente com embutidos, e o creme de queijo faz um contraponto interessante no palato. Quando acabou a gente queria mais, tá!? Esta massa foge da mesmice de maneira simples e criativa.

E a campeã da noite foi a Bistecca alla Fiorentina (R$197,00). Juro por Deus, nem na Itália comemos uma igual a esta. Me lembro que estava com o Marcos em Florença e ficamos na fila de um restaurante que prometia a melhor bisteca de sua vida. Saímos de lá arrasados… Então um ano depois da nossa saga em busca da famosa carne italiana, para nossa surpresa, a descobrimos aqui, ao lado de casa, exatamente neste jantar. Além de enoooooormeeeeeeeeee, do tipo serve 3 pessoas perfeitamente bem, ela chega no ponto exato, úmida, sem excessos, bem-feita, somente sentimos a maciez da carne e seu sabor sem estranhamentos.

E por aqui tem também sobremesas boníssimas. Entre elas a Delizia al limone (R$26,00).  Para quem curte doce cítrico este bolo com creme durinho de limão, com molho de lemoncello e folhas de limão, é um “prato cheio”. Uma overdose positiva e equilibrada entre o doce e o azedo. Só tenho flores para oferecer a quem concebeu esta tentação.

O Antonietta continua me levando ao céu toda vez que aterrisso por lá, e acredito que eles estão em seu melhor momento. Espero não ter que ficar mais tanto tempo ausente em um dos meus lugares preferidos de Higienópolis. Vale a visita e vale vivenciar a delicadeza de como a gente é recebido neste lugar tão receptivo. Até a próxima!

Serviço
Antonietta Cucina
Endereço: R. Mato Grosso, 412 – Higienópolis, São Paulo – SP

Abre todos os dias
Telefone: (11) 3214-0079

Crédito Imagens: Roberto Salgado

Curta e siga: