Empório São Pedro, um bálsamo ao palato!

Esta semana fui visitar um dos lugares mais interessantes na arte de se comer bem que a cidade de Embu das Artes pode oferecer aos seus visitantes. O Empório São Pedro, que já existe há 23 anos em uma das ladeiras mais charmosas da cidade, te levará a uma viagem ao tempo. Cada detalhe da pequena casa, suas mesas, quadros e outros objetos que pertenciam ao antigo antiquário que ali existia anteriormente, se integram sutilmente e formam um bonito cenário para os almoços de finais de semana. Infelizmente o Empório não abre para o jantar, o que é uma pena, pois já tive o privilégio desta experiência e foi inesquecível. Outra notícia triste é que você não poderá pagar sua conta com cartão de crédito, somente em débito ou dinheiro, vá preparado!

Quem assina o menu é o chef e proprietário da casa Guilherme Manuel, eu tive a sorte de ser recebida por ele, sua presença não é constante na cozinha, mas não se preocupe sua sous-chef, a Juliana Manfrinato dá conta e muito bem do recado e sua equipe está toda alinhada com a filosofia da casa!

Eu raramente sugiro o Couvert (R$28,00) de algum restaurante que eu visito, mas o deste empório é algo instigante, colorido e aromático, algo incomum quando se trata de couvert, que no geral é sempre uma cestinha de pães, alguns patezinhos e manteiga. Aqui você encontrará pães caseiros feitos na hora, caponatta artesanal e aromática, salada assada, tomate seco, alichella, sardela, manteiga aromatizada feita com a fruta da goiaba (eu não conseguia parar de comê-la) e alho confitado. Tudo chega em equilíbrio de texturas, sabores e aromas. Sem contar o detalhe da louça onde é feita a composição. Sem exageros eu voltaria apenas para tomar um copo de vinho tinto com esta maravilha de entrada. Não hesite em prová-la!

O menu tem muitas entradinhas para se comer com as mãos, se possível não dispense o Arancini do Empório (R$29/06uni), que nada mais é uma releitura do risoto da casa em versão petisco. Textura levemente areada, úmida, o recheio de queijo gorgonzola fresco além de intensificar o sabor do arancini, lhe reservará uma surpresa na primeira mordida e que deixará tudo com outro significado, algo que traz delicadeza ao bolinho, mas eu não irei contar para não estragar o mimo.

Tivemos a sorte de provar uma receita sazonal do chef Raviolone com gema de ovo, recheado com queijo brie e ricota, aspargos frescos com molho de cogumelos porcini (R$39,00). Uma receita primorosa, onde a gema foi trabalhada pelo chef de forma paciente, deixando-a no ponto exato, firme e levemente molinha por dentro, respeitando cada ingrediente que juntos causavam uma explosão de sabores e texturas. Um primor! Se o chef estiver na cozinha peça, ele fará para você.

Entre os pratos principais, os italianos fartos são os que reinam desde sempre no menu da casa, provei o Nhoque de mandioca com rabada desfiada ao molho de tomate fresco e ervas do jardim (R$59,00), massa macia, molho bem encorpado que criava uma sinergia balsâmica com a carne cozida em fogo lento que desmanchava na boca. Se você busca uma receita genuinamente italiana, está aqui irá de encontro ao seu desejo.

Para quem quer fugir das massas, o Filé Mignon grelhado e servido com gateau de batatas e molho de pimentas (R$71,00) é uma decisão acertada. A carne é um desafio para qualquer carnívoro (a), ela vem em uma posta bem alta, um corte impecável e chega à mesa perfeitamente no ponto e sua maciez me surpreendeu, o molho apimentado só enalteceu a receita. A guarnição feita de batatas neutralizou o prato, nada demais, mas que ocasionou um bom dueto com o protagonista.

Ainda tivemos fôlego para provar o Souflê gelado de licor Grandmarnier com laranja confit e canela (R$25,00). Há anos eu provo esta sobremesa aqui e ela continua reinando no menu. A combinação de sabores e texturas são de uma delicadeza intensa sem igual.

Lugar aconchegante e encantado, serviço gentil e um menu repleto de agradáveis surpresas comestíveis. Visitar esta casa é dar a sua alma um belo motivo para “fugir”, mesmo que por algumas horas do frenesi da Capital Paulista. Sempre saio feliz daqui!

Serviço
Rua Siqueira Campos – Viela das Lavadeiras, casas 28 e 75 (20,06 km de SP)
Embu / SP
Aberto de quarta a domingo das 12h as 17h
Telefone: (11) 4781-2797

Crédito Imagens: Roberto Salgado

 

Curta e siga:

Renata Vanzetto inaugura Matilda, em São Paulo.

E a quaresma chega com boas novidades! A chef Renata Vanzetto, abriu as portas recentemente de mais um espaço gastronômico na cidade, Matilda Lanches, um lugar pensado para os amantes de bons e criativos sandubas.  A proposta da casa é ser bastante informal, acessível e divertido. O espaço tem 50 metros quadrados e abriga uma pequena cozinha, com chapa e fritadeira abertas para os clientes, e salão com apenas 25 lugares. Lá a galera faz seu pedido no caixa e aguarda para retirar no balcão. A diversão fica por conta do nome. Segundo Renata, Matilda é uma personagem, uma menina feliz, um pouco acima do peso, divertida e de bem com a vida e com o que come.

No menu, lanches, burgers, batata frita e milk shake. Algumas das criações da chef para a nova casa são o Cheddar Burguer, com disco de 120g de costela com cheddar derretido, maionese spicy, bacon, cebola caramelizada e agrião no pão de hambúrguer de brioche (R$ 27), o Matilda Vietnamita  com frango desfiado no molho oriental, palitinhos de cenoura, maionese caseira, folhas de coentro, pimenta jalapeño em conserva, pink pickles na baguete (R$ 22), Hot Mama com filé crocante , molho de tomates picantes, rúcula selvagem, queijo derretido na baquete (27) – com opção vegetariana com berinjela à milanesa, e Romeu e Matilda, que leva pancetta suculenta no barbecue de goiabada ,queijo e  agrião no pão de brioche (R$ 27). Sucesso no EMA, o Crazy Crispy Chicken, frango crocante, maionese de beterraba, picles de couve flor no pão brioche (R$ 23) aparece na   versão adulto, ou melhor, maior, e também como opção vegetariana com abobrinha na farinha panko. Para os veganos tem Veganíssimo, um hamburugers de brócolis, maionese vegana de avocado, cebola caramelizada, picles de pepino, alface e tomate (R$ 27). Não veganos podem adicionar queijo.

O cardápio ainda oferece salada chamada Super Bowl com folhas, cenoura, rabanete, avocado, couve flor, moyashi  picles, tomate,  crocante de pão e sour cream. Para acompanhamentos há Batata frita com maionese da casa (R$ 12), Batata doce rústica quebrada com louro e alho e maionese spicy (R$ 14), Bolinha frita de tapioca quejuda (R$ 15 – 6 unidades), Nâguetizzz de frango na farinha panko e sour cream (16) – 6 unidades e Quiabos na chapa com molho missô (R$ 10).

Para beber além de cerveja, água e refrigerante e os milk-shakes Matilda Larica (chocolate com calda de Nutella, R$ 18), Avokado (avocado e hortelã com calda de amora, framboesa e limão, R$ 18) e vegano Shake Shake, no milk baby  (de chocolate 70% com leite de amêndoas, R$ 26).

A identidade visual da lanchonete ganhará bastante destaque, com logo nas embalagens dos sanduíches, dos sucos, dos milk shakes, trazendo a Matilda de diferentes formas e com frases divertidas. As embalagens serão feitas com madeira de reflorestamento e serão recicláveis. 

Mais um lugar bacanérrimo em Sampa que cabe no nosso bolso, com a assinatura de uma das chefs mais descolada da cidade. Enjoy!

Serviço
Endereço: Rua Bela Cintra, 1541
Horário de funcionamento: De terça a sexta-feira, das 19h às 00h. Sábado das 13h às 16h e das 19h às 00. Domingo das 13h às 17h.

 

Curta e siga:

Giro Especial: 4 refúgios cariocas para este Verão!

Voltar ao Rio de Janeiro para conferir as novidades gastronômicas sempre será para mim um enorme prazer. O Rio é uma cidade convidativa para os que desejam comer bem e serem provocados com novas sensações palatinas! Nesta última temporada não foi diferente, visitei quatro lugares inéditos ao meu paladar, belos refúgios para os gastroturistas que querem aproveitar a viagem para conhecer a nova cozinha carioca e voltar para casa carregados de boas memórias.

Confira nossas dicas;

Nola

O Bistrô, com nome havaiano, que significa “Iluminada” é um lugar bastante expressivo, se você está buscando algo charmoso pelo bairro do Leblon, o meu preferido by the way… O restaurante possui um salão pequeno, mas é bem aconchegante. A proposta aqui é totalmente voltada ao Comfort Food, que busca despertar sensações de aconchego com as receitas que o chef Thiago Sodré preparou para o menu. Outro lance legal é que os preços do Nola são bem bacanas e os pratos são simples, despretensiosos e com toques simpáticos. Apenas um lembrete, se chegar tarde para almoçar e/ou jantar corre o risco de ficar na fila de espera, que no dia que fui não era pouca, ou seja, como eu, reserve antes!

Salada Marroquina

Não dispense de entrada a Salada de frango marroquino (R$42), ela é quase uma refeição completa. O frango caipira fez duetos interessantes com os outros vegetais, os pedacinhos de damasco com grão de bico tostados deram textura e o molho de iogurte com páprica ocasionou o acabamento aromático perfeito. Outro prato que me encantou foi o Frango Caipira ao Curry (R$50). O arroz de coco que o acompanhava estava cremoso, dava para sentir o cheiro do coco fresco, mas sem exageros, o molho curry encorpou bem a carne da ave. E se você é um grande fã de cheesecake como eu, então prove o este estonteante feito com banana e doce de leite (R$24), uma explosão ao seu paladar.

Ella Pizzaria

No Rio de Janeiro vamos ser sinceros, era algo bem desanimador achar uma pizzaria que fizesse jus a uma das receitas mais maravilhosas do universo, ainda mais para mi, que sou uma paulistana nata e moro em uma das cidades que mais oferece a cada metro quadrado uma boa pizza. Mas atualmente o cenário da cidade é outro com o aparecimento da Ella (nome fascinante), pizza-bar que foi criado em um casarão no gracioso Jardim Botânico, aconchegante e que nos envolve com sua iluminação baixa e tijolinhos na parede.

Mas o melhor de tudo são as criações fantásticas dos chefs da casa, Pedro Siqueira e do mestre da arte branca Marcos Cerutti, que para a nossa sorte estava por lá e nos deliciou com sua habituée simpática conversa, daquelas que só uma pessoa que ama o que faz sabe conduzir!

 

É difícil o que escolher no menu, porque tudo é incrivelmente instigante. Mas eu começaria assim: de entrada peça o “Só borda pra molhar o bico” (R$19,00), borda de pizza acompanhada de três molhos: pesto, tomate e creme fresco. A burrata cremosa (R48,00) e refrescante com molho de pesto também é obrigatória. Pizzas, todas os sabores são curiosos e diferentões em sabor e textura. Um dos segredos do chef é fazer a verdadeira pizza napolitana, com fermentação natural, massa superleve e feita no forno a lenha. As minhas preferidas foram Olha Ella (R$39,00), base de duas scamorza com grana padano, bacon crocante, ovo estalado e broto de salsa; e a Polpa (R$41,00), de creme azedo, polvo crocante, pancetta defumada, vinagrete de biquinho e rúcula selvagem. É diferente de tudo que você imagina, portanto é visita inevitável na Cidade Maravilhosa!

É fila na porta, vá sem pressa. Para compensar, de quinta a sábado a casa fica aberta até as 2h da manhã.

Mama Shelter

O restaurante do descolado Hotel Mama Shelter, é um colírio para quem busca aventuras no bairro de Santa Tereza. Você mesmo não sendo hóspede poderá visitar o restaurante, que está situado em um galpão arejado, colorido e com uma pegada jovial sem exageros.

Filé mignon ao sol com purê de abóbora e quiabo grelhado

A cozinha vai ao encontro da proposta do hotel, oferecendo receitas simples, saborosas, afetivas e com toques de brasilidade. Inicie sua degustação com a Burrata com tomate confit e pizza branca (R$36), ou os famosos Bolinhos de feijoada (R$25) recheadinhos com couve e bacon. Um prato que me encantou por ser fã desta especiaria foi Cupim, que foi cozido por 12 horas, e portanto desmanchava na sua boca, com risoto de cogumelos (R$42), uma combinação perfeita de texturas e sabores. Já o Filé mignon ao sol com purê de abóbora e quiabo grelhado (R$70) é para quem deseja pegar mais leve na comilança. E se ainda tiver folego, encante-se com o Pavê de Brigadeiro (R$15) e tenha um happy lunch feliz.

Um toque amigável, se for jantar por lá e tiver um tempo extra: dedique-se a conhecer o bar do Mama Shelter, que possui um décor incrível, uma carta de drinks autorais sedutora e um DJ que não deixa você ficar parado.

Térèze

Alta gastronomia e sabores únicos é o que o Térèze, restaurante do hotel Santa Tereza Rio MGallery, proporciona aos seus visitantes. Reconhecido com 5 garfos pelo Guia Michelin Brasil 2015, os pratos servidos na casa com vista linda para a Baía de Guanabara misturam paladares do Brasil, com um toque francês e um serviço impecável para os mais exigentes.

Lagosta na Maionese

Quem está no comando nos últimos meses é o uruguaio Esteban Mateu e através de suas mãos você poderá provar maravilhas, como a delirante combinação de Lagosta na Maionese (R$75,00). Cozida no caldo de especiarias, derretia na boca, e o creme de wasabi traz refrescância à receita. Outra sugestão no mesmo mood é a Cauda de Lagosta Rosada (R$160,00), grelhada e com um colorido e leve risoto de moqueca. Detalhe importante é o chef quem também assina as gostosuras que você do café da manhã, e serão muitas para os quem ama um farto brunch, um oásis de comidinhas leves, macias e com sabores incomuns quando se trata de breakfast de hotéis.

 

Serviço
Nola – Rua Dias Ferreira, 247 Loja A – Leblon – Rio de Janeiro. Horário de funcionamento: Segunda a quinta de 12h às 00h, sexta e sábado de 12h a 1h e domingo de 12h às 23h. Reservas: (21) 2274-5590

Ella Pizzaria – Rua Pacheco Leão, 102 – Jardim Botânico. Telefone: (21) 3559-0102. Todos os dias, de 12h às 17h e de 18h às 00h.
Site:  www.ellapizzaria.com.br

Mama Shelter- Rua Paschoal Carlos Magno, 5 – Santa Teresa, Rio de Janeiro – RJ. Tel(21) 3980-0300

Térèze: EndereçoRua Almirante Alexandrino, 660 – Rio de Janeiro
Telefone: (+55 21) 3380-0200 Email: www.santateresahotelrio.com

 

 

Curta e siga:

Piquenique saudável no Ibirapuera

Eu curto muito um evento sem frescura, com comidinhas leves e de preferência ao ar livre e com os pés descalços. E é exatamente com esse propósito que o Le Manjue e a Verde Campo se uniram para realizar a 4ª edição do Piquenique Le Manjue, que vai rolar no dia 03 de fevereiro, a partir das 10h, no Parque Ibirapuera.

O piquenique terá convidados bacanas entre eles o ator Bruno Gagliasso e o chef Renato Caleffi, referência nacional em gastronomia orgânica e funcional. Mas você também poderá participar, por meio da compra da cesta que estará recheada de quitutes, você poderá obtê-la de duas formas; nas duas unidades do Le Manjue ou pelo site do evento.

Além do piquenique, será realizado por ali um treino funcional com o personal trainer Chico Salgado, um grande conhecido entre os globais.

Vale ressaltar o seguinte, a fim de promover uma ação com resultados positivos em projetos sociais, o piquenique em parceria com a ARCAH, irão contribuir com a doação de um valor para a instituição, quando a galera postar fotos com as hashtags #ComerÉCelebrarAVida e #VidaLeve, legal né?

Nada mais natural e orgânico do que comer junto à natureza, e isso vai acontecer em um dos parques mais bonitos da cidade!

Serviço:

Piquenique Le Manjue com Verde Campo
Data: 03 de fevereiro
Horário: 10h às 13h
Local: Portão 07 – Parque do Ibirapuera (Avenida Pedro Álvares Cabral, Vila Mariana – São Paulo)

Curta e siga:

Bologna: Tradição x modernidade

E o giro desta semana rolou em um dos cenários gastronômicos que mais me encantam descobrir, padaria! Na Capital Paulista o movimento é forte e nada mais paulistano ser frequentador assíduo destes maravilhosos centros de conveniência.

Fomos conhecer a tradicional Bologna, que está localizada em uma das ruas mais conhecidas da cidade, a famosa Rua Augusta. A padaria já existe desde 1925, mas está situada em seu último endereço há 56 anos. Tem um ambiente clean e charmoso; você poderá escolher entre as mesas do saguão ou as tradicionais mesinhas com bancos altos. A casa está sempre preocupada com a qualidade do que oferece aos seus clientes, por isso cuida com carinho do preparo de pães, doces, bolos, biscoitos, salgados, lanches, rotisserie, sorvetes, cafés, chás, sucos e todos os produtos exclusivos.

A ideia era experimentar um pouquinho de cada coisa, já que o cardápio é literalmente gigante (não se apegue às fotos que nele contém – ao vivo, as receitas são mais agradáveis); então dei início ao prazeroso trabalho com um dos clássicos de uma autêntica “padoca”, e para o qual a maioria das pessoas faz vista grossa, mas eu adoro: Coxa creme (R$9,90) mantido no menu há gerações, aqui o contraste entre a casquinha crocante e a cremosidade da massa é o segredo, e se quiser que sua experiência seja mais grandiosa coma-a com as mãos e deixe-se lambuzar.

Também não resisti e provei um dos sanduíches das receitas exclusivas da cozinha: Inglês (R$28,50), Roast beef caseiro, queijo branco, relish de pepino, saladinha e mostarda com ervas. Toda a combinação viva de ingredientes  encaixou-se  lindamente em textura e sabor, o pão firme e crocante só enalteceu a receita. Precisei de fôlego para comê-lo até o fim!

Provei dois pratos principais do cardápio, um deles foi o Filé de Dinossauro (R$92,10), o nome engraçado faz jus ao corte americano (Prime Rib) de 600g. O Ponto da carne estava perfeito, corte bonito, textura macia, sabor intenso, não hesite em querer compartilha-lo, tem quantidade generosa para duas pessoas; a saladinha que a acompanhava estava fresca, bem temperadinha, mas a carne merecia que ela fosse mais incrementada, com especiarias mais elaboradas!

O outro clássico do lugar: Polenta cremosa com molho de calabresa (R$38,90), não espere uma super cremosidade da massa, aqui a papa é à base de farinha de milho e água, sem muita frescura, o molho de linguiça trouxe um adocicado picante, tirando a entediante receita da mesmice. Tem escolhas melhores no cardápio!

Não saia do Bologna sem experimentar um dos sorvetes feitos na casa, cada sabor mais delicioso que o outro, nos divertimos muito quando provamos um pouquinho de cada. São mais de cem sabores, para mim o de pistache, chocolate turco e tangerina foram os sabores que mais se destacaram no meu palato.

Serviço gentil, menu para todos os gostos e bolsos, ambiente relax.  Bologna entra na minha lista de padarias nas quais se deve passar ao menos uma vez na vida para se ter toda essa experiência de uma padaria moderna, mas sem que percam suas memórias ou  suas origens. Adorei, quero voltar!

BOLOGNA
Augusta, 379 – Consolação, São Paulo – SP
Tel.: (11) 3256-1108. Capacidade: 150 pessoas.
Cartões de crédito: todos. Cartões de débito: todos.
Horários de funcionamento: Funciona 24 horas (fecha apenas segunda, das 0h às 6h).
Acesso para deficientes físicos com mobília e banheiro adaptado. Não possui área para fumantes. Ar condicionado. Wi fi gratuito.

Crédito Imagens: Roberto Salgado

 

Curta e siga: