A Magia da África do Sul

E meu mais recente giro pelo mundo aconteceu na África do Sul, em Cape Town, um lugar fascinante e com uma beleza natural de tirar o fôlego. Há muito tempo eu tinha vontade de visitar esta cidade que, segundo alguns brasileiros, mais parece um Rio de Janeiro melhorado, com menos favela, mais amplo e arborizado, e eles estavam certos. Uma mistura de praias, florestas e vida urbana que se harmonizam naturalmente.

Enquanto estiver na cidade reserve sempre um tempo para ver o pôr do sol, seja onde você estiver, mesmo que esteja dentro de um quarto de hotel, posso garantir que você terá um prazer imenso toda vez que abrir a janela e contemplar um dos espetáculos mais bonitos da natureza. Agora, se você é mais aventureiro e tem fôlego de leão, sugiro que suba até a Table Mountain (Montanha da Mesa). Para os mais hiperativos, a subida será de quase 2 horas a pé, mas se você é uma pessoa normal, assim como eu, e quer apenas contemplar a vista com uma champa na mão, a opção mais sensata é utilizar o Table Car, uma cabine giratória, rápida e segura, e que vai te permitir chegar lá no topo em 5 minutinhos.

E a galera que não tem problema algum com labirintite (e é mais corajosa) também pode apreciar o final do dia subindo a Lions Head, que fica do ladinho da Table Montain. A subida demora menos e do alto você vai ver praias, o centro da cidade e todo o seu entorno. Só tente saber antes como estará o tempo (isso também vale para a Table Mountain!), porque em Cape Town o clima pode mudar de uma hora para outra. No mesmo dia podem rolar todas as estações do ano, o que torna o lugar mais curioso ainda.

Seal’s Island

O Cabo da Boa Esperança é lugar obrigatório para quem visita a África do Sul, e vou ser muito sincera: aqui foi minha melhor descoberta, a área que mais me causou emoção. Venta, faz frio mesmo com sol, mas a paisagem natural e a energia do lugar é algo que ocasionará uma lembrança inesquecível à sua alma. O passeio passa por Hout Bay, muito visitado por turistas, com restaurantes e várias embarcações ancoradas, mas que faz sucesso mesmo porque de lá saem os passeios para visitar a Seal’s Island (Ilha das Focas), um passeio lindo! Em geral passa-se também por Boulder’s Beach, bastante conhecida por ser a praia dos pinguins e ter um mar com visual super caribenho.

E se você é um adorador de vinhos, ou ainda sonha em ser um sommelier nas horas vagas, você não pode rejeitar uma visita em uma das centenas de vinícolas da maior região produtora de vinhos na África do Sul, Stellenbosch. Seus vales e propriedades adicionarão mais beleza em sua viagem gastroturística. Eu visitei apenas três delas, La Motte, Anthonij Rupert e Fairview Wine and Cheese. Vale mencionar aqui alguns detalhes importantes: você não paga para entrar, e lá dentro você decide se quer apenas conhecer o recinto, experimentar o vinho, fazer um tour guiado, ou tudo isso junto. Não se esqueça de experimentar a uva da África do Sul: Pinotage, e leve uma mala extra, porque os vinhos são de excelente qualidade e com preços camaradíssimos.

Tem gente que acha meio baixo astral, mas eu não achei e adorei o passeio a Robben Island. Para quem desconhece, foi nesta pequena ilha que Mandela e seus companheiros de luta ficaram encarcerados por 25 anos. O lugar retrata uma parte triste da história da África do Sul no que se refere à luta contra o apartheid, e a energia de Mandela pode ser sentida em cada canto deste santuário da natureza. O passeio de barco até lá tem um puta visual!

Bem, ir à África e não fazer um safari é perder uma das aventuras mais fantásticas da sua vida! Fiz um e jamais vou esquecer o contato quase íntimo com animais que eu nunca tinha visto ao vivo na vida. Não será um dos passeios mais baratinhos da sua viagem, mas garanto que valerá cada centavo. Fomos conhecer o Garden Route Game Lodge, que está localizado pertinho da cordilheira de Langeberg (mais ou menos 4 horas de Cape Town). É um game lodge (pousada de caça no original, mas hoje as caçadas são só fotográficas) ideal para famílias porque é super kids friendly. As game drives ocorrem pela manhã e no finzinho da tarde, que é quando os animais selvagens estão mais ativos. Os passeios são feitos com guias e o game reserve é o lar de elefantes, leões, búfalos, rinocerontes brancos, girafas, cheetas e outros animais. Você fica hospedado ali mesmo, com direito a spa, boa comida e quartos incríveis.

Outro passeio imperdível pelo significado do lugar é Agulhas. Aproveitamos para conhecer este que é o encontro dos oceanos Indico e Atlântico com um pequeno desvio do caminho em nossa volta do Game Lodge. Paisagens lindíssimas em uma cidadezinha pitoresca, dominada por um antigo farol, com piscinas de pedras para possibilitar o banho no mar gelado são algumas das atrações daqui.

Os bons de garfo terão também muitas alegrias na África do Sul, onde se come muito bem e os preços são camaradíssimos. Vale dizer para não economizar neste quesito, porque comer e beber aqui não irá te falir. Longe disso: quando a conta chegava para nós, geralmente íamos conferir porque sempre achávamos que tinha algo errado, no bom sentido (rsrs). Em Cape Town a regra é a mesma para todo gastroturista, os restaurantes mais disputados da cidade requerem reserva, e alguns deles podem ter meses de espera. Fora isso, a cidade está repleta de cafés, bares e, para os curiosos, muitas cozinhas que provavelmente nunca experimentaram, como a culinária da Namíbia ou Moçambique.

Bellini

Vou citar três lugarzinhos que eu adorei ter conhecido: Bellini: culinária italiana, café e com um décor que deixará seus olhos brilhantes. Você pode visitá-lo quando for à feira mais famosa da cidade para um café ou uma cidra (a África do Sul produz as melhores cidras do mundo). Kloof Street House: é um casarão antigo que foi transformado em um maravilhoso restaurante intimista, com vários ambientes e uma luz aconchegante. Ficamos no jardim, apreciando o paisagismo, as esculturas e as pessoas estilosas que por ali entravam e saiam. O menu não decepciona, é variado e contemporâneo, provamos carne de avestruz e adoramos a daqui! Vale sugerir que se faça reserva antes, mas se não puder, a espera no bar pode ser mega-gostosa. E o The Crypt: um bar de jazz surpreendente. Para chegar até ele, você deve dar a volta na Catedral de Cape Town, seguir até os fundos e descer os degraus que levam até a cripta. Sim! É ali, cercado pelas tumbas antigas que você pode desfrutar de uma excelente mixologia, drinks incríveis, enquanto ouve jazz da melhor da qualidade. Nós tivemos a sorte de curtir a Big Band da Cape Town University enquanto no balcão comíamos petiscos e bebericávamos nossos drinks tentando ler as lápides de mármore sobre os espelhos do bar. Uma experiência fascinante!

The Crypt

Compras? Vinhos, Peri-Peri (pimenta local), máscaras africanas e túnicas são essenciais na sua lista de compras. Mas você também poderá desfrutar de shoppings modernosos, como o Victoria Wharf. Ali, não deixe de visitar as marcas locais de cosméticos Africology e Rain Africa, uma loja é vizinha da outra, com coisas incríveis a preços ok; e para os homens a barbearia do local, em estilo londrino, com produtos finíssimos. Visite também o comércio da famosa Long Street. Nesta imensa rua você irá encontrar muitas lojas de artesanato e moda local. Apenas cuidado com sua bolsa e telefone, neste pedaço há muitos pedintes de rua, vale ficar atento! E não deixe de visitar o Green Market Square, para quem gosta de pechinchar (e muito) na hora de comprar artesanato este mercado ao ar livre é o melhor lugar da cidade. O local tem pouca estrutura e é formado apenas por barracas em uma praça do centro da Cidade, mas vale a pena. 

Green Market Square

Eu poderia falar por dias de Cape Town e da África do Sul, é preciso deixar registrado que as surpresas do dia a dia quando estamos viajando também são fascinantes, e você deve descobri-las à sua maneira. Super recomendo esta viagem e espero voltar a maravilhosa Mama África, que me recebeu de braços abertos!

P.S.: Gratidão a Guilherme Hildebrand e Marcos Geromini, companheiros desta viagem que fizeram desta experiência algo inesquecível!

 

Serviço

Garden Route Game Lodge
N2, Albertinia, 6695

+27 28 735 1200

Bellini
40 Short Market Street, Green Market Square, 8001 Cidade do Cabo

+27 21 424 3347

The Crypt
1 Wale St, Cape Town City Centre, Cape Town, 8000, África do Sul
+27 79 683 4658

Kloof Street House
30 Kloof Street, 8001 Cidade do Cabo

+27 21 423 4413

Victoria Wharf
Breakwater Boulevard, 8002 Cidade do Cabo
+27 21 408 7600

Giro da semana: Randa e suas especialidades árabes!

Esta semana fomos conhecer um espaço gourmet onde se encontram diversas cozinhas, dentre elas a sírio-libanesa do restaurante Randa – que em árabe quer dizer “Rosa”.

 O lugar é bonitinho, super informal, e aqui vai uma sugestão de amiga, para curtir melhor a vibe de uma “Beirute moderna”, sente-se nas mesinhas com vista para o jardim fechado que fica em frente ao restaurante; além da vibe, é mais arejado e se observa melhor o trabalho feito pela arquiteta Isabela Bethônico  que utilizou elementos diversos como madeira, cobre e cimento queimado, com painéis de cores vivas e azulejaria estampada no décor da casa.

Quem comanda as panelas é a chef Renata Abbud que propõe aos comensais uma culinária afetiva, com receitas das famílias Farah e Abbud, vanguardistas na implantação da culinária árabe na cidade. No cardápio daqui você encontrará muito mais que os tradicionais quibe e esfiha.

Iniciamos o jantar com o “Quadra de Ases” (R$56,00), nesta mini degustação você terá a oportunidade de provar as entradas mais pedidas: kibe cru, trigo frique, trio (Homus, coalhada seca e babaganush) e linguiça árabe.  A apresentação estava sedutora, as especiarias exalavam frescor, aromas e texturas aconchegantes para o palato, destaque para o Trigo Frique, um mix muito bem elaborado com peito de frango e carne moída, misturados com a coalhada fresca e hortelã. Uma deliciosa surpresa! Já a linguiça feita de carne bovina, temperada com vinho branco e especiarias estava ressacada, apesar do sabor delicioso, eu ainda prefiro os embutidos feitos com carne suína, que tenham gordura para que a receita não apresente tal problema.

O cardápio oferece algumas opções das famosas Esfihas, provei as mais elaboradas: Esticadinha (R$7,00), uma esfiha que, literalmente, vem mais alongada, com textura super crocante e bem passada. Prove a feita com Chancliche, um queijo libanês, envolto em preparado de ervas e feito com leite de cabra, de sabor marcante e refrescante. Mas se tiver que escolher apenas uma, a eleita da noite foi para a Esfilha folhada de carne (R$8,00) –  que torta assada mais afetiva! A massa levinha e suavemente adocicada deu um novo significado à tradicional receita.

Não dispense uma das saladas do cardápio, todas feitas com primor e cada uma delas exala personalidade e novos significados à iguaria.  Provei a Salada Manish (R$46,00) feita de mix de folhas, damascos, pistaches torrados e queijo de cabra, temperados com molho à base de mel e redução de balsâmico. O visual já nos convidava a uma experiência cheia de frescor e aromas;  o molho cremoso, doce e de brilho intenso, deu vida a cada ingrediente que participava desta receita. É o tipo de salada que você comerá até o fim e sem obrigações.

Na seqüência provei uma outra especialidade da casa, Chacrie (R$59,00), cubos macios de carne com anéis de cebola caramelizada na manteiga, tudo mergulhado em coalhada fresca. A pimenta doce faz um interessante contraponto e o arroz com macarrão “cabelo de anjo” foi um bom acompanhamento ( mas eu dispensaria a massa). Prato imperdível!

E para os adoradores de carne o pedido indispensável é o Lombo de Cordeiro (R$72,00) no menu diz: -“ grelhado à perfeição”, e não há nenhum exagero em tal informação. A carne estava macia, entremeada de gordura, suculenta e de sabor e aroma marcantes. Um deleite para os apreciadores de uma boa carne. Uma pena que não tinha cuscuz marroquino para acompanhar, então fomos de batata libanesa, que é uma espécie de  purê, só que mais rústico, nada cremoso, por cima cebolas no azeite e zathar que dá um toque charmoso à iguaria. 

Outro lamento foi na hora da sobremesa, sem pestanejar pedi o Malabie (manjar), mas não tinha, então fomos induzidos a provar o Chocolamour by Flamingo (R$27,00) – nada sírio libanês – mas uma delicia; a combinação de sorvete de chocolate, com calda quente de chocolate, chantilly e farofa doce é quase que explosiva ao seu palato e para os chocólatras será um bálsamo aos sentidos.

Serviço impecável, menu que sabe aliar bem o comfort food com alta gastronomia, ambiente suave e preços nada abusivos é o que você encontrará neste pedacinho do Líbano, que está ao alcance de todos os apreciadores desta nobre cultura. Recomendo!

Serviço:

Randa Especialidades Árabes

www.randarestaurante.com.br
Avenida Chucri Zaidan, 1240 – 1º andar – Piso Plaza Gourmet – Ed. Morumbi Corporate (ao lado do Shopping Morumbi) – Chácara Santo Antônio/SP
Tel. 11 3957-9570
E-mail: contato@randarestaurante.com.br
Capacidade: 70 lugares.
Horário de funcionamento: De segunda a sábado, das 12h às 22h.
Domingos e feriados, das 12h às 17h.
Abre todos os dias.

 

Wine Dinner em São Paulo com Jean Jacques Dubourdleu

Vai rolar no próximo dia 27 de junho, no restaurante EAU, o Winne Dinner, evento imperdível para os amantes de jantares regados a ótimos vinhos em total sintonia com menu assinado pelo chef executivo do Grand Hyatt São Paulo, Thierry Buffeteau.

Os rótulos serão apresentados por Jean-Jacques, da Domaine Denis Dubourdieu, filho e sucessor do famoso enólogo Denis Dubourdieu,  que durante a experiência irá comentar sobre alguns dos seus principais vinhos, elaborados pela família em Bordeaux, a mais célebre região vinícola da França. Em 2016, com o falecimento de seu pai, ele e seu irmão Fabrice assumiram o comando das cinco propriedades. Formado em enologia pelas Universidades de Bordeaux, hoje aos 36 anos, auxilia nas questões de viticultura e enologia, além de ser responsável por divulgar os vinhos da Domaine pelo mundo.

Ta aí mais uma iniciativa bacana para difusão da cultura do vinho. Confira o menu de três tempos do jantar:

COCKTAIL
Torrada de terrine de coelho com pistache;
Truta curada, lâmina de foie gras, anis estrelado;
Gougére com creme de roquefort;
Château Haura 2013

MENU
Lagostins defumados, tartar de beterraba orgânicas, consomé, tapioca e azeite de limão;
Filé e paleta de cordeiro da Família Quirós em duas cocções, cenouras coloridas, couve-flor caramelizada, molho de ragu com especiarias;
Château Reynon Sauvignon Blanc 2015

SOBREMESA
Mille-feuilles de baunilha Bourbon e madeleine.
Château Doisy-Daëne Sauternes

Wine Dinner “Domaine Denis Dubourdieu”
Terça-Feira, 27 de junho, às 20h
R$ 280,00 por pessoa, inclui jantar com harmonização de vinhos e bebidas não alcoólicas.
Venda online: http://www.pacoteshyatt.com.br/vale-presente/wine-dinner/ 

Curso intensivo para os amantes do café!

Você ama café, já sonhou um dia em ser barista e está de bobeira no próximo feriado?

O Octavio Café ainda está com inscrições abertas para o curso ‘Da Semente à Xícara’, que será realizado de 15 a 18 de junho nas fazendas da marca em Pedregulho, no interior de São Paulo. As aulas oferecem uma imersão no mundo do café, englobando todo o processo desde a semente até a degustação da bebida com o mais alto padrão de qualidade. 

Os temas possibilitarão aos participantes aprender sobre plantio, planejamento da colheita, colheita seletiva, manual e mecânica, irrigação, preparo do café e secagem, além da preparação da xícara perfeita (máquina, moinho e compactação), vaporização de leite para cappuccinos e o conceito de latte art, entre outros.  

O programa inclui hospedagem na Hospedaria do Café – aberta apenas a quem faz o curso -, com pensão completa e translado da pousada até as fazendas. Para o quarto single, o valor do investimento é de R$ 3.200,00. Já para os quartos double, o valor é de R$ 2.970,00 por pessoa. As vagas são limitadas a oito inscritos por turma e o pagamento pode ser dividido em até 10 vezes no cartão de crédito.

A inscrição é realizada mediante envio de ficha cadastral preenchida e comprovante de pagamento. Para mais informações, o contato é o telefone (11) 3074-0110 ou o e-mail cursos@octaviocafe.com.br.

Garfo, uma start-up que entrega comida com cozinha autoral.

E mais um aplicativo chega ao mercado para facilitar a vida de quem deseja comer bem e anda meio sem tempo de encostar nas panelas, o Garfo é uma espécie de tábua de salvação para os paulistanos que se preocupam com uma boa alimentação, e que não desejam receber aquela comida com cara de fast food.

O Garfo tem sua própria cozinha e um menu diário (com 80 pratos criados e testados pelo chef Leo Botto ), que combina os preferidos dos clientes com sugestões do chef. A cada dia, o Garfo acena com quatro alternativas dessa base de receitas, incluindo opção vegetariana. Em um dia pode haver estrogonofe, carne de panela e peito de frango com caponata de legumes e batata doce, por exemplo. No outro, arroz de forno, peito de frango grelhado com quinoa marroquina e bifum oriental com cogumelos. 

Como se nota, pratos substanciosos, próximos aos triviais, que priorizam sabor e equilíbrio. Para acompanhá-los, a empresa também oferece, além das bebidas tradicionais, sucos integrais, chás naturais e refrigerantes com teor reduzido de sódio e de açúcar. 

“Para nós, todo o processo é sobre criar uma experiência para uma refeição balanceada, já que os pratos são pensados para o delivery, ou seja, do fogo direto para viagem, sem adaptações e improviso, sempre buscando produtos de qualidade e em 30 minutos a entrega”, resume Heloise Gildemeister, fundadora do conceito. A empreendedora tem no currículo a criação da Santa Clara Batataria (casa especializada em batata rösti, que fundou aos 24 anos) e da Palco 07 (agência de inteligência de música para marcas). Após uma temporada em Nova Iorque, notou em São Paulo, a dificuldade em fazer refeições bem preparadas e equilibradas no dia a dia, sobretudo por um valor que não fosse exorbitante. Daí o Garfo, que prepara receitas caseiras com ingredientes sazonais, apuro de chefs de cozinha e cobra um preço justo. Por preço justo entenda-se de R$ 34 a R$ 36 (já com a taxa de entrega incluída).

Em resumo, não se trata de uma plataforma de entrega, mas de um aplicativo de delivery com cozinha própria. Por ora, seu alcance de entrega está focado nos bairros de Pinheiros, Vila Madalena e arredores, já que o trabalho é feito a pé ou de bicicleta e não excede jamais meia hora.

Gostou da novidade? A Giros Gourmet adorou….então baixe o Garfo agora e maravilhe-se!