Festival de frutos do Mar do CEAGESP rola até inicio de março.

Ama um Ceagesp?, como a maioria de nós paulistanos…então você não pode perder a Edição de Verão do Festival do Pescado e Frutos do Mar Ceagesp que vai rolar até o sábado de carnaval, dia 3 de março. Até lá, os visitantes ainda podem aproveitar o clima de praia no maior Entreposto de Alimentos da América Latina. No cardápio de todas as semanas, muito camarão, muito peixe e frutos do mar.

Destaque para os Camarões Assados servidos à vontade nas mesas e para a Paella à Marinera, gigante, servida num tacho de mais de um metro de diâmetro. Mas o Festival tem ainda Camarões Crocantes com Tártaro e Limão, Escondidinho de Camarão, Risoto de Camarão e Camarão na Moranga. Tudo isso para o público comer o quanto quiser.

Para quem não abre mão de saborear peixe, também não faltam opções. Toda semana, três receitas com peixes entram no cardápio. Nas semanas seguintes, novos peixes em novas receitas substituem as da semana anterior.

Na quarta-feira, tem Caranguejada. Ostras à vontade, toda quinta. Na sexta-feira, tem Camarão Cremoso servido no Coco Verde. Aos sábados, são duas opções. Tem Xixo de Meca, no almoço, e Spaghetti com Camarão no Parmesão Grana Padano, no jantar. O Spaghetti com Camarão reforça o cardápio também aos domingos.

Você também terá à disposição uma completa mesa de saladas, com opções de frutos do mar. O Festival ainda oferece várias alternativas de pratos de complemento. Para saborear o quanto quiser todos os itens, o valor por pessoa é de R$ 79,90 (exceto bebidas e sobremesas, cobradas à parte). Crianças de até cinco anos, não pagam. De seis a dez, pagam metade do preço.

A Edição de Verão do Festival do Pescado e Frutos do Mar Ceagesp funciona sempre de quarta a domingo, até 3 de março. De quarta a sexta, o horário é das 18h à 0h. Aos sábados, das 12h às 17h, e das 18h à 0h. Aos domingos, das 12h às 17h.

A entrada é pelo Portão 4 da Ceagesp, na altura do nº 1.946 da av. Dr. Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital. O estacionamento, no mesmo local, tem preço especial para os frequentadores do evento.

Imperdível!

FEED – casa prima por receitas carnívoras!

Esta semana fui almoçar em um lugar bacanérrimo, o Feed, que fica no Itaim Bibi, em São Paulo. O lugar é uma mistura simpática de boutique de carnes com um bistrozinho nos fundos, que mais parece uma agradável varanda:  iluminação natural, pé direito alto e uma árvore no centro do pequeno salão dão um charme todo especial.

A casa tem boas e suculentas opções à la carte. Iniciei com uma das melhores entradas que provei nos últimos tempos: Bruschetta de Ragu de Fraldinha (R$29), fatias de pão lindamente tostadas, carne suculenta que foi delicadamente desfiada e encharcada na medida com um molho levemente apimentado. Os tomatinhos confitados que vinham por cima estavam adocicados e com uma textura equilibrada. Esta gostosura me fez lembrar das famosas festinhas de aniversario em que era servida sua versão mais popular, a famosa “carne louca”. Aqui tem toque de afetividade, o que torna uma receita ainda mais significativa.

Todo mundo sabe que eu jamais dispenso uma Linguiça Toscana (R$59), e a do Feed me conquistou: gordura equilibrada, com picância leve, saborosa e com uma fina camada crocante. Vem acompanhada de mostarda Dijon, mas nem precisava, ela reina sozinha.

O que mais me marcou no Feed foi a Tábua Especial (R$199), que leva o nome do restaurante. No cardápio é mencionado que serve para 02 pessoas, mas dá para se comer em três numa boa. Aqui você encontra de uma vez só os campeões do açougue: chorizo, picanha e fraldinha. Na boca sabores intensos, texturas tenras com toques de maciez, sutis camadas de gordura e vale ressaltar que todas as carnes foram entregues na mesa pelo garçom que faz questão de checar o ponto desejado. Excelentes carnes preparadas de maneira impecável.

E os acompanhamentos não decepcionam, pedi Batata frita com páprica e salsinha, Farofa de Banana da terra e Vinagrete de tomate confitado. Todas estas guarnições participaram harmoniosamente com cada pedacinho de carne que experimentei, dando um colorido e uma intervenção palatina necessária.

Eu ainda tive folego e experimentei uma das sobremesas que o menu oferece, escolhi a Torta Caramel Salè e Chocolate (R$17) delicada massa doce de cacau, recheada com crocante praliné, creme de caramelo com um toque de flor de sal e coberta com ganache de chocolate meio amargo e crisps de chocolate belga, para refrescar o palato. Sobremesa docíssima, mal dá para sentir o toque salgado, sua textura desmanchava na boca. Este pedido é para quem curte chocolate e todas as suas facetas.

Os amantes de uma boa carne façam um favor a si mesmo, não deixem de visitar o FEED, a experiência vale ouro! Só não vá com pressa, os lugares são poucos e a mesas são concorridas. Dito isso, bom almoço!

SERVIÇO
Endereço: Rua Doutor Mário Ferraz, 547 – Itaim Bibi – São Paulo – SP ver no mapa
Telefone: (11) 56274700
Site:  http://www.feed.com.br
Horários: segunda-feira e terça-feira 09:00 – 20:00
quarta-feira a sexta-feira 09:00 – 21:00
sábado 09:00 – 19:00
domingo 09:00 – 15:00

Crédito Imagens: Roberto Salgado

Theatro Municipal estreia a temporada de óperas com O Barbeiro de Sevilha

Entre uma viagem e outra, uma degustação e outra, a gente busca aqui na redação diversão e arte! E Nada melhor começar a agenda 2019 com a temporada lírica do Theatro Municipal de São Paulo, que estreia amanhã (14) com uma das mais famosas óperas cômicasO Barbeiro de Sevilha (Il barbiere di Siviglia), de Gioachino Rossini, sob a direção musical de Roberto Minczuk, cênica de Cleber Papa e figurinos e cenários assinados por José de Anchieta.

A obra de Gioachino Rossini estreou em 1816. Com libreto do escritor italiano, Cesare Sterbini, é inspirada numa peça homônima do francês Pierre Beaumarchais. Esta ópera foi encenada no Municipal a última vez em 1995. A obra é divertida sem momentos de monotonia. Um dos trechos mais famosos, Fígaro… Fííígaroé executado na primeira entrada do Barbeiro de SevilhaA ária já foi parafraseada em desenhos animados, como o Pica-Pau.

No enredo, o Conde de Almaviva se apaixona por Rosina. Porém, a jovem tem um tutor, Dr. Bartolo, que a mantém presa dentro de casa, cercada por criados e músicos. Para se aproximar da amada, Almaviva passa a contar com a ajuda de Fígaro, que vende perucas para Rosina e faz o cabelo e a barba de Bartolo. A partir disso, surgem vários planos mirabolantes e hilários que divertem o público há mais de 200 anos.

O barítono Michel de Souza será Fígaro, já tendo interpretado o Conde de Almaviva pela Scottish Opera na ópera As Bodas de Fígaro, do Mozart. David Marcondes reveza com ele.

O tenor Jack Swanson (Conde de Almaviva) faz sua estreia na América Latina. Aos 26 anos, natural de Minnesota (Estados Unidos), Swanson está em ascensão no mercado internacional. Dentre os estreantes em ópera no Theatro Municipal de São Paulo, está Anibal Mancini (Conde de Almaviva) e as sopranos Débora Dibi e Denise Yamaoka que se revezam no papel de Berta.

Como o Dr. Bartolo, está o baixo Sávio Sperandio. Experiente no papel, já interpretou o mesmo personagem no Teatro Colón, em Buenos Aires (2005), no Festival de Ópera de Ercolano/Itália (2007) e no Teatro Real de Madrid (2008). Em noites alternadas, o cantor Saulo Javan assume o papel. Ele já se apresentou no Theatro Municipal de São Paulo nas óperas The Rake’s Progress, Don Giovanni, La Bohème, Falstaff, Salomé, entre outras.

As récitas acontecem nos dias 14,15,16,19,20, e 21, às 20h, e no dia 17 às 18h.

Gente é imperdível, nos vemos por lá!

Serviço
O Barbeiro de Sevilha
Temporada: 14.02/15.02/16.02/17.02/19.02/20.02 e 21.02 [terça a sábado, às 20h. Domingo, às 18h]
Local: Theatro Municipal de São Paulo | Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Ingresso: R$20,00 a R$120,00  [venda na bilheteria e site da Ingresso da Eventim]
Classificação: Livre (sugerido para maiores de 7 anos)
Duração: 2h30 | 2 atos

Henrique Fogaça cria sobremesa em homenagem a filha!

Quer ajudar o próximo com doçura?

O chef Henrique Fogaça acaba de criar uma sobremesa especial em homenagem à sua filha, cuja renda será revertida para o Instituto Berbigier, ONG especializada em doenças raras (https://www.institutoberbigier.com.br). A sobremesa leva o nome da homenageada, Olívia– Espelho de Leite de Coco, Churros com Sorvete Häagen Dasz de Doce de Leite e Tuile de Coco.

A refrescante sobremesa custa R$40 já está disponível nas 3 unidades do Sal Gastronomia (Cidade Jardim, Higienópolis e VillageMall – RJ) e ficará no menu, até  final de março.

Outra novidade Do Fogaça é que ainda este ano, ele vai inaugurar mais um estabelecimento, o Sal Grosso, no Rio de Janeiro. Um restaurante com foco em carnes e pratos para compartilhar, com uma comida mais próxima da do dia a dia, porém muito bem feita.  

SAL GASTRONOMIA – CIDADE JARDIM

Endereço: Shopping Cidade Jardim – Av. Magalhães de Castro, 12.000 – 3º piso-Tel: 3198-9505.
Horário de Funcionamento: 2ª a 5ª 12h às 0h/6ª e sábado 12h às 0h30min/Domingo 12h às 22h.

 

 

Mandioca: Restaurante dedicado a um dos ingredientes queridinhos da cozinha brasileira.

Esta semana a gente foi conferir um restaurante que eu queria visitar há muitoooo tempooooo, e finalmente chegou o grande dia! O Mandioca Cozinha, restô da chef pernambucana Madu Melo, que tem como filosofia explorar todas as receitas caseiras com toques contemporâneos, sendo a mandioca a estrela incondicional do menu.

O Mandioca traz receitas das cinco regiões do país, com os diferentes tipos de mandiocas – mansa, branca e amarela, fermentada e não-fermentada (segundo o Embrapa, são 250 tipos catalogados no Brasil) – e uma dezena de variações de subprodutos e usos. Dentre eles, a farinha do Uarini (Amazonas), o tucupi amarelo (Pará), a farinha de copioba (Bahia), a de tapioca (com massa feita na casa) e outras farinhas de diferentes cantos do país.  “Do doce ao salgado, do bar ao restaurante, do café da manhã ao jantar, a mandioca está em todas as mesas brasileiras. É um patrimônio cultural e o restaurante busca homenagear esse ingrediente tão versátil e saboroso de uma forma amigável e simples”, diz a chef.

Além disso, o restaurante tem um espaço acolhedor, com boas cores, boas plantas, e uma mesa espaçosa para caber todas as comidinhas possíveis que sua alma “aguentar”…

Iniciamos o nosso almoço com uma receita que me deixou curiosa, logo de cara! Caribéu (R$15,00), um tradicional ensopado do Mato Grosso que contém carne de sol desfiadinha com mandioca bem paçoquenta e um molhinho levinho e picante que casa todo mundo e traz um conforto ao seu palato muito animador. Eu adorei!

Na sequência pedimos o óbvio: uma porção de Mandioca Frita (R$12,00), com geleia de pimenta. Aqui deu ruim, a protagonista da casa simplesmente chegou passada, não parecia ter sido frita na hora, estava com textura endurecida. Minha herança genética histórica ficou desolê, estava muito sem graça!

Passado o susto, nos entregamos aos pratos principais. Meu namorado fez o pedido mais ousado do dia, Pirarucu assado na folha de couve (R$45,00), regado com tucupi e acompanhado de banana grelhada e cuscuz de farinha do Uarini com jambu e castanha do Pará. Sem decepções, o peixe passou um pouquinho do ponto de cozimento, mas o restante se apresentou como uma “sinfonia palatina” para nossos sentidos: uma mistura de texturas e sabores com cheiro de terra, com cheiro de mar, que nos deu leveza e bem-estar aos sentidos. Aqui você encontrará um prato exótico e que tem a cara da cozinha brasileira.

Eu fui de Porco Sulista (R$38,00), filé mignon suíno com melado de rapadura, acompanhado de abóbora assada e farofa de bacon com pinhão. O prato chegou lindo, lindo à mesa, um tenríssimo porco assado e de bom tempero, o molho doce foi bem dosado. Abóboras macias e levemente adocicadas contrastam perfeitamente bem com a salgada farofa aromática. De lamber o prato.

Eu não dispensei a sobremesa e fomos de Pudim da Casa (R$12,00). Feito de mandioca cozida, sua consistência é mais firme e sabor mais leve, mas que mergulhado no sabor acre e agradável do cumaru causa uma explosão saborosa na sua boca. Aos amantes da famosa sobremesa, indispensável.

A proposta aqui é ter uma boa relação custo-benefício, com pratos que variam de R$29,90 (preço do prato do dia no almoço executivo de terça a sexta) a R$48,00. Outra preocupação da casa é refletir a diversidade étnica, de gênero e cultural, com uma equipe multicultural, tanto na cozinha quanto no salão, e vale ressaltar o serviço gentil. O Mandioca é um lugar para se voltar e que reflete bem a nossa rica cozinha brasileira.

Serviço:

Mandioca Cozinha
www.mandiocacozinha.com.br
EndereçoRua Doutor Cesário Mota Junior, 187
Vila Buarque – São Paulo – SP (próximo ao metrô Santa Cecília)
Telefones(11) 2936-9427 e 99282-7556 (WhatsApp)
E-mailcontato@mandiocacozinha.com.br
Facebook: /mandioca.cozinha
Instagram: @mandioca.cozinha

Credito Imagens: Bia Ferrer