Oca Tupiniquim reúne música e gastronomia no mês de setembro.

Do pop ao clássico, do rock ao choro, do folk ao erudito. Noites de puras misturas. Esse é o clima, no mês de setembro, na Oca Tupiniquim, na Vila Madalena, em São Paulo. A tradicional casa de eventos lança o projeto Oca Cultural, selo que vai reunir o melhor da música e da gastronomia. Para começar, duas noites memoráveis: 14/09 (sábado), show de Ritchie com a banda Black Tie (R$ 190 de couvert artístico, incluindo show e jantar) e, 19/09 (quinta-feira), concerto dos jovens e premiados pianistas Cristian Budu e Hercules Gomes (R$ 70, o ingresso mais o menu de finger foods).

A Oca Tupiniquim, comandada pela empresária Ângela Soares, agora também promove eventos autorais. O selo Oca Cultural incentiva o diálogo da gastronomia com outras expressões artísticas. Na estreia do projeto, folk-rock com uma roupagem erudita. A casa recebe o cantor britânico radicado no Brasil, Ritchie. Compositor de “Menina Veneno”.

 No menu de jantar preparado pela chef Raphaela Homem de Melo, da Oca, uma culinária contemporânea, com ingredientes brasileiros. O menu de seis tempos é composto por: entradas (Tartar de Beterraba, Brandade de Palmito Pupunha e Purê de Cabotiá Defumada e Couve-Flor), pratos principais (Riz de Carreteiro com Amêndoas Torradas, Banana-da-Terra e Azeite Aromático, com opção vegetariana, e Bobó de Camarão, Arroz de Coco e Farofa de Dendê, com versão vegetariana feita com cogumelos) e sobremesa (Terrine Crocante de Chocolate e Avelãs com Sorvete de Tangerina). Para harmonizar, sugestões de drinques bem brasileiros, como a carta de gim-tônicas: Tupiniquim (gim, tônica, mexerica e lasca de pimenta de cheiro, R$ 35), Caeté (gim, tônica, limão-siciliano e capim santo, R$ 35), Potiguara (gim, tônica e cajuína, R$ 35) e Xavantes (gim, tônica, frutas vermelhas e hortelã, R$ 35).

Hercules Gomes

Piano erudito e popular se encontram na noite da quinta-feira (19/09) na Oca Cultural durante o concerto dos pianistas Cristian Budu e Hercules Gomes. O músico capixaba Hercules Gomes, de 38 anos, apontado pela crítica como um dos mais talentosos pianistas da atualidade, apresenta na Oca composições de seu mais recente álbum No Tempo da Chiquinha, em que celebra Chiquinha Gonzaga (1847-1935), a pianista brasileira que criou as bases do choro. Hercules demonstra influências de ritmos brasileiros, jazz e da música erudita, aliadas a uma técnica refinada

Para o menu do encontro, a chef Raphaela Homem de Melo propõe uma degustação de finger foods, petiscos e caldinhos, como: Mandioca no Espeto com Manteiga e Queijo Coalho Gratinado, Polenta com Molho Pesto e Castanha-do-Pará, Caldinho de Feijão com Cachaça, Caldinho de Abóbora com Leite de Coco, Curry e Gengibre, Tartar de Beterraba. Água mineral (com e sem gás) são cortesias da Oca nos dois eventos. Demais bebidas cobradas à parte. No serviço de bar, haverá, ainda, vinhos, cervejas e refrigerantes.

 “A Oca é uma casa de eventos que nasceu com essa personalidade criativa e um DNA bem brasileiro, das louças que servimos ao mobiliário de design nacional. Há 12 anos produzimos eventos de clientes, amigos e parceiros, corporativos e sociais. A Oca Cultural é um selo proprietário nosso e tem a proposta de unir o melhor da música ao melhor da gastronomia”, explica Angela Soares, sócia da Oca Tupiniquim.

E gente se vê por lá!

Serviço – Oca Cultural:
Quando:– Dia 14/09, sábado, às 22 horas – Ritchie, em Wild World – The Songs of Cat Stevens. O jantar começa às 20h30.
Dia 19/09, quinta, às 20h30 – concertos de Cristian Budu e Hercules Gomes. O serviço de jantar começa às 19h.
Onde: Oca Tupiniquim (Rua Fradique Coutinho, 1379 – Vila Madalena, São Paulo, SP – CEP 05416-011)
Vendas: cultural@ocatupiniquim.com.br ou nos tels. 11 3031-7996 e 11 9 9939-8209.
Quanto: R$ 190 (couvert artístico, show + jantar), no dia 14/09; R$ 70 (couvert artístico, show + menu de petiscos), no dia 19/09. Não aceita meia entrada.
Capacidade: 100 lugares.
Possui área para fumantes: 40 lugares.
Censura: livre.
CC aceitos: Amex, Dinners, Elo, Mastercard, Visa.
CD aceitos: Amex, Dinners, Elo, Mastercard, Visa.
Não aceita cheques.

Municipal abre temporadas de Ópera, em setembro!

 

Uma noticia maravilhosa para mim, para você e para todos aqueles que amam um bom momento com a eterna música lírica. Vai iniciar a temporada de óperas encenadas do Theatro Municipal de São Paulo.

E Nabucco, do italiano Giuseppe Verdi, será o protagonista deste inicio de temporada. O título de quatro atos terá direção cênica de Cleber Papa. Já a musical fica a cargo do maestro Roberto Minczuk, regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. O Coro Lírico Municipal está sendo preparado pelo maestro Mário Zaccaro.

O enredo contará a história da conquista do território de Judá pelo Rei Nabucodonosor, da Babilônia, e a captura do povo hebreu. Nesta história escrita há séculos, ganham destaques: Nabucco (rei da Babilônia que conquista e escraviza o povo hebreu de Jerusalém), Ismaele (capitão hebreu que é apaixonado pela filha de Nabucco, Fenena). Fenena (filha de Nabucco, também é apaixonada por Ismaele. Ela ajudou o amante a escapar da prisão na Babilônia). Zaccaria (profeta hebreu e promove a esperança e a fé). Abigaille (não tem o amor correspondido por Ismaele e mesmo não sendo filha legítima de Nabucco, tenta roubar o trono da Babilônia).

O cenário será realizado a partir da reciclagem de materiais da Central Técnica do Theatro Municipal de São Paulo, onde são armazenados cenários e trajes usados nas produções que já passaram pelo prédio histórico, o cenário de Nabucco privilegia o Templo de Salomão, ampliado conceitualmente em todo o teatro, posteriormente as áreas internas do Palácio Real de Nabucco, os Jardins Suspensos, as margens do Rio Jordão e suas colinas, a grande Sala do Trono de Nabucco e, finalmente, o Templo de Sacrifícios a Baal. Outro aspecto fundamental para a realização desta obra é a iluminação. “Há momentos em que são absolutamente distintas as necessidades de criação de ambientação de câmara, mesmo num palco deste tamanho. Ainda que Giacomo Puccini tenha se tornado o grande compositor italiano a compor para a luz, Verdi é por sua vez o precursor do movimento e da sua relação com o espaço teatral”, afirma Papa.

O figurino é atemporal e também todo produzido a partir da Central Técnica do Theatro Municipal pela figurinista Emilia Reily. O Coro Lírico Municipal de São Paulo usará preto, com alguns destaques de cor na roupa dos solistas. No universo da Babilônia, as peças douradas. Já os interpretes dos hebreus, estarão com roupas confeccionadas com tecidos e elementos mais rústicos.

As récitas acontecem nos dias 22, 23, 26, 28, 29 e 30, às 20h, e no dia 24 às 17h.

Imperdível e oportunidade única para quem sempre quis apreciar uma ópera e ainda não teve a chance, sem contar os preços super acessíveis, os ingressos variam de R$ 10 a R$ 100. A giros irá conferir!

Serviço:
Nabucco
Theatro Municipal de São Paulo

Dias 22, 23, 26, 28, 29 e 30 às 20h
Dia 24 às 17h

setor 1 
R$ 100 inteira 
R$ 50 meia 

setor 2 
R$ 60 inteira 
R$ 30 meia 

setor 3 
R$ 30 inteira 
R$ 15 meia 

dia 26 às 20h

setor 1, 
R$ 50 inteira 
R$ 25 meia 

setor 2 
R$ 30 inteira 
R$ 15 meia 

setor 3 
R$ 10 inteira 
R$ 5 meia 

Ingressos: www.compreingressos.com/theatromunicipaldesaopaulo ou na bilheteria do Theatro.
Duração: Aproximadamente 170 min.

Classificação indicativa: 12 anos

Horário da bilheteria do Theatro Municipal: de segunda a sábado, das 10h às 19h, e domingo, das 10h às 17h. *Nos dias de espetáculo a bilheteria funciona das 9h até o início do evento.

Jazz e Vinho Festival reúne boa música e bons vinhos!

Vai rolar um evento muito bacana esta semana para os amantes do Jazz e de bons vinhos. O Festival Jazz e Vinho acontecerá a partir de hoje em três cidades; no Rio de Janeiro (dia 23 de agosto, no Teatro Bradesco Rio), São Paulo (dia 24 de agosto, no Teatro Bradesco) e Porto Alegre (dia 25 de agosto, no Teatro do Bourbon Country).

Entre os músicos confirmados na edição Vinho e Jazz estão nomes como Femi Temowo, guitarrista britânico que já tocou com nomes como George Benson, The Roots e Amy Winehouse; uma das compositoras e cantoras mais importantes da nova geração de músicos portugueses, Luisa Sobral; além do retorno dos animadíssimos canadenses da Shuffle Demons.

FEMI TEMOWO (Nigéria-Reino Unido)

O compositor, guitarrista e cantor multipremiado Femi Temowo, apresentou The Music Is The Feeling – seu terceiro e mais ambicioso álbum, com participações de The Engines Orchestra, Michael Olatuja, Troy Miller, Karl Rasheed-Abel, Thomas Dyani and Ernesto Simpson.  Em algum lugar entre o povo africano ocidental e o jazz, o álbum canaliza os sons da infância de Femi crescendo como garoto na Nigéria, ouvindo pioneiros como Fela Kuti, Sunny Ade e Ebenezer Obey. O amor do groove e do lirismo é a parte central do seu som. Não é nenhum segredo que Femi Temowo tem uma enorme variedade de influências e experiências para aproveitar – de tocar jazz com Soweto Kinch e George Benson, para o hip hop com The Roots e de ter trabalhado com Amy Winehouse.

LUISA SOBRAL (Portugal)

Luísa Sobral é uma das compositoras e cantoras mais importantes da nova geração de músicos portugueses. Em 2016 editou “Luísa” que é apresentado ao vivo pelo país. O disco foi gravado em Los Angeles, no mítico United Recording Studios, por onde já passaram nomes históricos como Frank Sinatra, Ray Charles, Ella Fitzgerald, Jay-Z, Radiohead e U2. Ao leme da produção esteve Joe Henry, vencedor de três Grammy Awards, que assina trabalhos de músicos como Elvis Costello, Solomon Burke, Beck e Madonna.

SHUFFLE DEMONS (Canadá)

Os três adoráveis saxofonistas vestidos com roupas estranhas, um louco e dançante baterista e um matador contrabaixista cantando músicas sobre ônibus, festas e hóquei retornam ao Brasil para o Vinho e Jazz Festival com sua inusitada e alegre combinação de funk, jazz, pop e rap. Originária de Toronto, no Canadá, Shuffle Demons se lançou pela primeira vez na cena musical canadense com uma fusão musical eletrizante a partir de Sun Ra, Charles Mingus, Run DMC e os Beastie Boys. Todas as suas atuações, com divertidas performances, atraem multidões de público. Ao longo de sua carreira, o Shuffle Demons lançou oito CDs, dois vídeos de sucesso, ganhou vários prêmios de música, realizou inúmeras aparições de rádio e TV e excursionou nacionalmente e internacionalmente.

CRONOGRAMA:
Abertura das portas: 20h
Femi Temowo: 21h
Intervalo: 15 min
Luisa Sobral: 22h
Intervalo: 15 min
Shuffle Demons: 23h

SÃO PAULO (SP)
Dia 24 de agosto
Quinta-feira, às 21h
Teatro Bradesco (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping São Paulo)

www.teatrobradesco.com.br

 

 

Dica final de semana: Virada Cultural 2011

Bem o final de semana promete! Acontece uma das noites mais sensacionais na cidade em minha opinião….estou falando da grande Virada Cultural que acontece em SP amanhã (16) e domingo (17).

E a cada Virada, fico super impressionada…porque tem muita coisa legal….as atividades vão da música até oficinas de artesanato….e detalhe importante tudo isso é super FREE….

Rita Lee, Paulinho da Viola, Dominguinhos, Erasmo Carlos, Beatles4ever, Rafinha Bastos e Danilo Gentilli são só algumas das muitas opções da Virada Cultural…

Com um orçamento de cerca de R$ 8 milhões, a edição desse ano traz algumas novidades bem interessantes: um palco exclusivo de Stand-Up Comedy, no Viaduto do Chá, com a participação de Danilo Gentili, do CQC, e palcos exclusivos para forró, na Barão de Limeira, e outro para o Hip Hop, na Santa Efigênia….ou seja tem gosto pra todas as tribos!!!

Queridos a organização aguarda 4 milhoes de pessoas nervosas para se aculturar…..divirtam-se….quem sabe a gente não se esbarre neste tsunami cultural….e viva as festas!!! Hahahaha beijos

Veja a programação completa, clicando aqui