Dica Cinéfila: O delicado “Flores Raras”.

Há muito tempo ando acompanhando o cinema brasileiro e sem desapontamentos! Na noite passada fui ver mais um filme do circuito nacional e mais uma vez me surpreendi.  Estava curiosa para conferir a história de amor entre a arquiteta Lota de Macedo Soares e a poeta americana Elizabeth Bishop, um verdadeiro convite a reflexão!

Flores raras

Em “Flores Raras” você verá duas belas interpretações que por si só já valem a ida ao cinema; Gloria Pires esbanja talento, já Miranda Otto foi muito convincente em seu delicado papel. Além disso, o filme tem uma belíssima trilha sonora e uma fotografia singular…..

O longa, inspirado no livro “Flores raras e banalíssimas”, de Carmem Lucia Oliveira, tem como pano de fundo, a ditadura militar no Brasil, mas precisamente na cidade do Rio de Janeiro e conta como as duas grandes mulheres engataram um romance daqueles do tipo “Explosivo”, onde a orientação sexual e a diferenças culturais são meros detalhes!

Embora a história possa ser classificada como “conturbada”, cheia de altos e baixos, foi bonito presenciar mesmo que pelas telas do cinema este romance tão cheio de paixão e poesia, e de quebra dá pra gente saber um pouco mais sobre a biografia do trabalho da dupla. Pra quem não sabe foi no Brasil que Elisabeth concluiu o livro “Norte e Sul”, pelo qual ganhou o prêmio Pulitzer de literatura.

O Diretor Bruno Barreto foi muito feliz neste longa, “Flores raras” é sobretudo um filme de amor, recheado por bossa nova, poesia e lindas paisagens!

Amei, super recomendo!