Conferindo o filme Saint amour — Na rota do vinho

É quase raro, mas quando acontece este fenômeno, eu acho uma delícia! Fui conferir uma história no cinema neste último domingo (6) e saí de lá com uma outra narrativa. O filme Saint Amour – Na Rota do Vinho, não é uma película apenas para quem quer se esbaldar em histórias enófilas, cenários franceses paradisíacos ou está morrendo de sede.

O ponto central da história é a relação desequilibrada entre o pai Jean (Gérard Depardieu) e Bruno (Benoit Poelvoorde). Triste por ver o seu filho entregue ao alcoolismo e a uma tristeza absoluta, Jean tentará uma aproximação com o herdeiro durante uma turnê pela região vinícola da França. Para que os dois vivam esta intensa jornada cheia de revelações, bebedeiras e brigas, o taxista Mike (Vincent Lacoste) é contrato para ser o motorista nesta viagem cheia de aventuras e surpresas e vá de alma aberta para todas elas!

Muito difícil resistir ao charme sempre divertido de Depardieu, sem contar a química poderosa entre os dois atores, que sabem aliar ternura e decadência. O vinho participa ativamente da história, mas não é o protagonista, não se empolgue com isso.

De resto você verá um filme lindo, onde amor, paciência, tolerância e novas paisagens são as curas, para qualquer situação emocional que a vida prega na gente.

Filme francês nunca decepciona, Saint Amour muito menos! Adorei…….

Dá uma espiadinha no trailler;

Dica Cinéfila da semana: Minhas Tardes com Margueritte

Amo começar a minha semana sem remorso e para isso nada melhor que sair do trabalho um pouquinho mais cedo par ir ao cinema…..e lá fomos eu e a amiga Juliana para mais uma história fofa! Pra começo de conversa, eu confesso; Amo filme francês; a língua, a elegância, a estética dos personagens, os cenários tudo é sempre muito fascinante….No começo fiquei um pouco resistente em assistir o filme Minhas Tardes com Margueritte (La Téte em Friche) ……mas que bom que o universo conspirou e me levou ao Reserva Cultural esta tarde…..

O lugar tem se especializado em um tipo bem particular de cinema europeu, basta ir ao Reserva e observar os casais fofos de 3º idade……fascinante….e de quebra você tem uma patisserie francesa, a Pain La France, aonde vocês simplesmente irão se esbaldar…..paradinha obrigatória para o cafezinho da tarde….Ta dado o super toque gastronômico…..risos….

O filme com o charmosissimo Gérard Depardieu, que faz o quarentão Germain que mora com a mãe, é um iletrado e solitário…até o dia que conhece a simpaticíssima Margueritte (Gisele Casadeus, com incríveis 96 anos), uma senhora que através da literatura de Albert Camus e Romain Gary, ensina Germain a ser uma pessoa mais sensível e feliz…..

A história em si é pouco conflitante e têm cenas hilárias e claro emotivas (Ao menos para esta pobre ascendente canceriana que vos fala), Depardieu é sempre um espetáculo a parte….. ele simplesmente consegue naturalmente incorporar qualquer personagem que se dispõe a fazer….sou fã, então esta resenha pode se pronunciar um pouco suspeita….risos…..

A cena na qual ele conversa com o gato de estimação enquanto tenta em vão procurar palavras e entender o sentido delas no dicionário é essencial para entender o porque eu despejo elogios inúmeros ao ator.

E a atriz coadjuvante segura perfeitamente a cena ao seu lado….a troca afetiva entre eles é contagiante…….Enfim pessoas sensíveis, uma historia sobre encontros inesperados da vida, saca aquela mão misteriosa, chamada Destino?!

Eu adorei e garanto que você sairá de lá com vontade de passar pelas etapas dos lamentos da vida com a maior velocidade possível….

E sabe o que foi mais engraçado? O sinal que eu tive ao deixar o cinema?…um menino com um cartaz “aceite um abraço” apareceu na minha frente, e eu paulistana nata, me vejo abrindo em abraços…Fiquei Louca? Risos….beijos e semana leveeeeeeeeeeeeeeee!!!!