Instituto Brasil a Gosto promove Campanha com comunidades quilombolas e caiçaras.

O Instituto Brasil a Gosto, acaba de lançar uma importante campanha de doação de alimentos para diminuir a fome durante a pandemia do novo coronavírus. A campanha tem dois objetivos: ajudar a escoar o excedente de produção das comunidades quilombolas e caiçaras do Vale do Ribeira e, com esses ingredientes, alimentar famílias em situação de vulnerabilidade do Estado de São Paulo.

A partir da plataforma de financiamento coletivo Kickante, é possível doar valores desde 10 reais e contribuir com essa ação. O link para doações é kickante.com.br/brasilagosto

É possível doar a partir de 10 reais. As doações podem ser feitas em reais ou moedas estrangeiras e é possível parcelar em até 6 vezes com parcela mínima de 25 reais.

Os doadores terão direito a diferentes recompensas, conforme a faixa de contribuição. Entre elas, um e-book com receitas brasileiras do Instituto Brasil a Gosto e vaga em uma aula online ao vivo com a chef Ana Luiza Trajano.

A comunidade do Vale do Ribeira fornecem produtos para a alimentação de alunos da rede pública do Estado de São Paulo. Porém, com a interrupção das aulas por conta da pandemia, toneladas de alimentos (como banana, abóbora, alface, inhame, mexerica, palmito) produzidos pela Cooperativa dos Agricultores Quilombolas do Vale do RibeiraCooperquivale que iriam para os estudantes estão se acumulando. A ideia é comprar esse excedente e levá-lo a quem tem fome. Tudo isso com ajuda de importantes parceiros: Cooperquivale, Instituto Socioambiental, a comunidade caiçara da Enseada da Baleia e o Instituto Linha D’água. 

Cada kit será composto por ao menos dez itens entre os 26 produzidos pela Cooperquivale, de acordo com sua sazonalidade, somando 15 quilos de alimentos cada um, mais um quilo de peixe seco (entre parati, corvina, tainha, salteira e bagre) de comunidades tradicionais da Ilha do Cardoso e região e beneficiados pela Comunidade Caiçara da Enseada da Baleia. Entre esses alimentos devem estar palmito, mandioca, limão, inhame, cará, diferentes variedade de banana, chuchu, mel, rapadura, farinha, taiada, batata doce, alface, cheiro verde, couve, entre outros. Comida de verdade, cheia de afeto, para alimentar as famílias vulneráveis de Eldorado, Iporanga e São Paulo.