Conheça a intervenção fotografica CRAZY SAMPA!

crazy2

Trabalhos lindos merecem a nossa divulgação. Partindo da pesquisa Authentic Portrait, iniciada pela fotografa Bia Ferrer em 2009, CRAZY SAMPA é uma intervenção urbana fotografada e realizada na cidade de São Paulo. A colagem apresenta um território livre, que abriga todo tipo de gente e traz sempre uma combinação de dois elementos fundamentais: a empatia entre fotógrafo e fotografado.  Os modelos possuem idades e personalidades diversas, e por meio de suas vestimentas podem identificar os signos culturais de uma época e lugar.

As câmeras usadas são: uma de uso caseiro (cybershot) e a câmera de celular. O uso desse equipamento age aproximando muito mais artista e modelo, o que pode ser visto no estilo aparentemente informal das fotografias, que mostram a intimidade de relacionamento entre o fotógrafo e modelo.

No ato fotográfico, a artista provoca uma interrupção banal da vida cotidiana do modelo, fazendo com que a  participação dos mesmos seja evidente.  Eles recebem instruções sobre o projeto que os  desarmam e incentivam frente á câmera, criando assim uma cumplicidade análoga entre modelo e fotógrafo tendo a câmera funcionando como espelho. A escolha do ponto de vista é sempre a mais simples e neutra: fotógrafo e o modelo se olham diretamente.  

 Crazy 1

A escolha de desconhecidos é trilhada pela busca de elementos arquetípicos. As semelhanças, atitudes e os locais onde as pessoas são fotografadas nos habilitam a aplicar um raciocínio subjetivo áquilo que as une e as distinguem umas das outras.  A escolha de um momento, pessoa ou espaço específico é um traço importante do trabalho. 

Os gatilhos visuais confundem a expectativa e fazem com que o observador tente descobrir mais do fotografado pela sua aparência, levantando a  possibilidade de sabermos algo essencial da pessoa por meio da imagem fotográfica. 

O retrato de rua faz com que a imaginação gire em torno do modelo, alimentado pelas semelhanças e diferenças entre as imagens de uma única série com as ruas se tornando pano de fundo.As sensações e atitudes compartilhadas, assim como características peculiares aos grupos sociais , foram capturadas por este estilo fotográfico despreocupado, relevando assim alguns aspectos do comportamento social. 

Crazy3

A dinâmica mistura entre os retratos constrói uma narrativa e uma pesquisa internacional sobre a diversidade e as igualdades  compartilhadas entre a cultura contemporânea.

Quer saber mais sobre a artista Bia Ferrer? clique aqui!