Curitiba recebe a terceira unidade do Jamie’s Italian.

E a gastronomia italiana do chef inglês Jamie Oliver, continua a se expandir em terras tupiniquins. A cidade de Curitiba foi quem recebeu oficialmente a terceira unidade do Jamie’s Italian no Brasil (A primeira em São Paulo e a segunda Campinas). O restaurante chega com a proposta de oferecer comida excepcional e sustentável, em ambiente descontraído e com serviço simpático e acolhedor.     

Como nas demais casas, a unidade curitibana ganha projeto autoral, incorporando a personalidade da cidade. O espaço chama à atenção pela utilização de materiais industriais, como aço e concreto, uso de luz natural e interação entre os ambientes interno/externo, além de design italiano composto por maquinário, móveis, luminárias e louças – todos vindos do exterior. São 440 metros quadrados de área construída com capacidade total para 148 pessoas.

 O cardápio destaca vários tipos de pastas – com opções de meia porção; pratos principais – especiais do dia, da estação e os clássicos -, além de peixes – a cada dia uma opção de origem sustentável -, saladas, entradas, tábuas de frios, acompanhamentos, sobremesas e cardápio infantil, nutricionalmente equilibrado com diferentes opções de pratos principais. O Jamie´s Italian Curitiba oferece ainda um cardápio diferenciado de pizzas.

Na parte do bar, o cardápio destaca mais de 30 rótulos de vinho, todos internacionais, entre eles: Barbera D´Alba Doc (tinto) e Pecorino d´Abruzzo Kasaura (branco); cinco tipos de caipirinhas, spritzs – encontrados em qualquer Jamie´s Italian do mundo – como Aperol e Berry Spritz; e cervejas Birra Moretti, Brahma Zero, Budweiser, Heineken e Stella Artois.

O Jamie´s Italian Curitiba está instalado no shopping Pátio Batel e oferece serviço de vallet.

Mais um bom motivo para visitar a Capital mais fria do universo!

Curta e siga:

Ricardo Lapeyre, Bruno Katz e Tai Barbin dividem a cozinha no evento Ida e Volta!

Os Chefs Ricardo Lapeyre (Laguiole Lab), Bruno Katz (Nosso) e o mixologista Tai Barbin (Nosso) – três feras da cozinha e do bar contemporâneos – vão unir seus talentos e criatividades em uma dobradinha Laguiole-Nosso, com refeições preparadas à seis mãos – os chefs elaboram e executam juntos os menus dos dois restaurantes e Barbin prepara os drinques especialmente para acompanhar cada curso.

Batizados de Ida e Volta, os eventos vão unir a cozinha francesa contemporânea e criativa de Lapeyre, com a proposta de comida simples e divertida de Katz, e as criações inovadoras da carta de drinques de Barbin.

No dia 29 de agosto o banquete é no Laguiole Lab, o restaurante localizado em endereço privilegiado no Museu de Arte Moderna, com cozinha francesa comandada por Lapeyre. O menu terá 7 cursos e será preparado em conjunto pelos dois chefs, acompanhado de coquetéis elaborados por Barbin para cada etapa.

Dois de setembro é a vez do Nosso, em Ipanema, receber o chef Lapeyre como convidado de Katz e Barbin, preparando juntos um menu para compartilhar nas grandes mesas da casa, ​com shots de bebidas para acompanhar os diversos sabores.

Os cardápios fechados – revelados nos dias dos eventos – custam R$150 em cada uma das casas. O evento acontece entre 12h e 17h no dia 29 de agosto no Laguiole Lab, e a partir de 18h, no dia 2 de setembro no Nosso.

Imperdível, cariocas!

Laguiole Lab
Endereço: MAM – Museu de Arte Moderna – Av. Infante Dom Henrique, 85
Telefone: 2517-3129
Horário de funcionamento: Segunda a sexta, de 12h às 17h

Nosso
Endereço: R. Maria Quitéria, 91 – Ipanema, Rio de Janeiro – RJ, 22410-040
Telefone: (21) 99619-0099
Horário: terça a quinta 19h a 1h. sexta e sábado 19h a 2h. domingo 18h a 23h

Crédito fotos: Lipe Borges

Curta e siga:

Festival do Camarão de Ilhabela reúne restaurantes e chefs renomados em agosto!

Está rolando desde o dia 16 de Agosto, em Ilhabela um dos festivais gastronômicos mais tradicionais de seu calendário, o famoso Festival do Camarão. Em sua 23º edição, o evento conta com a participação de 47 restaurantes que apresentam no cardápio um prato especial que traz o camarão como protagonista. A Vila – Centro histórico de Ilhabela – receberá o Boulevard do Camarão, com uma programação especial no próximo final de semana – de 24/8 a 26/8 -, com shows e aulas de chefs renomados e petiscos de 26 dos restaurantes participantes.

Com a expectativa de reunir 30 mil pessoas, o Festival do Camarão atrai turistas de diferentes cidades e estados, contribuindo para a economia local. O que surgiu como um movimento de pescadores da região, que propunha evitar a pesca do camarão durante um período para em agosto gerar abundância da iguaria, evoluiu para um grande evento que apresenta pratos inéditos a preços especiais, que vão de R$ 10,00 a R$ 178,00 nos restaurantes e de R$ 4,00 a R$ 32,00 nos estandes do Boulevard, aos finais de semana.

Grande chefs participam do festival, entre eles, Erick Jacquin, jurado do Masterchef; Danielle Dahoui, chef do Ruella; Dayse Paparoto, vencedora do Masterchef Profissionais; Chef Tonhão, do Espaço Tangará, que fará sua famosa paella, e outros darão um show de gastronomia no evento.

No Boulevard, também estão programados 18 shows. A Orquestra Jovem de Ilhabela, Benito di Paula, Banda 14 Bis e Brazilian Jazz são algumas das atrações previstas.

Evento delicioso, dá uma olhada o que vai rolar no próximo final de semana:

Dia 24 | Sexta-feira

Palco Sul:
17h | Beto Di Franco
20h30 | Sá e Guarabyra
22h30 | Cozinha show com chef Danielle Dahoui

Palco Norte:
16h às 18h | Concurso Chef Amador
19h | Tradicional Paella – Chef Tonhão
22h30 | Cesar Cardoso

Dia 25| Sábado

Palco Sul:
19h | Cozinha show com chef Dalton Rangel
22h30 | Dupla Malagueta

Palco Norte:
17h | Marcelo Totó
20h30 | Show banda Brazilian Jazz

Dia 26 | Domingo

Palco Sul:
20h30 | Show 14 Bis

Palco Norte
17h | Beto Di Franco
19h | Cozinha show com o chef Roberto Ravioli
22h30 | Orquestra Jovem de Ilhabela

Curta e siga:

Best Wern: primeiro hotel fashion na Barra da Tijuca!

Este mês fui conhecer um hotel que há muito tempo eu tinha curiosidade em me hospedar, o Best Western Premier Americas Fashion Hotel by Lenny Niemeyer, no Rio de Janeiro.

O que atrai primeiramente é o seu conceito pioneiro de luxo e welness  já há alguns anos sendo explorado por grandes marcas hoteleiras que convidam icônicos estilistas a imprimir seu estilo. Por onde você passa, as idealizações de Lenny Niemeyer – uma das maiores estilistas de beachwear no país – estão reverenciadas em cada detalhe. Dá para notar que ela se inspirou em um conceito praiano mais sofisticado, linhos, tecidos crus, madeiras e estampas calmas com inspiração na natureza.

Os 222 quartos são espaçosos e apresentam elegantes linhas curvas, e todos são decorados com linha de  cama e banho assinado pela maravilhosa Trousseau que oferece macios e luxuosos tecidos que irão te acolher. As comodidades modernas incluem TVs de tela plana com DVD player, base para iPod e WiFi gratuito. Durante a estadia você poderá consumir livremente os produtos do frigobar, utilizar a máquina de café Nespresso e solicitar o menu de travesseiros. Todo o final de tarde eu me deitava para curtir aquele ambiente claro e relaxante, tire um tempo para isso quando for se hospedar por lá.

Outro lugar que não se deve dispensar é o restaurante do Hotel, Obeiju, sua combinação equilibrada de móveis com o ambiente claro e espaçoso, confere muito charme ao local. Aqui você também irá provar seu café da manhã que possui muita variedade e tudo é servido com muito charme.

O menu do restaurante é muito bacana, com receitas bem contemporâneas e releituras sedutoras de clássicos brasileiros. Adorei o arroz negro com frutos do mar (R$72), visual bacana, crustáceos em cozimento impecável e arroz perfumado, outro que fiquei babando no aroma quando ele cruzou o salão foi o Salmão grelhado, mousseline  de batata baroa e coulis de tomates. Um primor, cheiro e gosto de mar, a cara do Rio de Janeiro.

O Hotel também dispõe de uma piscina a céu aberto e uma academia para aquela galera que não abre mão de uma esteira após um dia de passeio ou de trabalho. Inclusive, você terá uma vista linda do mar da Barra da Tijuca. Sim os quatro dias que fiquei neste hotel eu frequentei a academia. Viva!

O meu melhor momento no Best Western, sem dúvida alguma, foi quando estive em seu seu SPA MVOGUE by Rejuvi, que durante duas horas proporcionou à minha mente e ao meu corpo momentos de relaxamento, com música agradável e terapeutas muito aptas .

Uma nova referência do novo design e da cultura hoteleira, um projeto que cria um conceito fashionista totalmente brasileiro. O hotel está localizado em uma das melhores regiões da Barra da Tijuca, a apenas 1 quilômetro da Lagoa de Marapendi, e a alguns minutos da praia (com transporte gratuito). Além disso, o hotel está inserido dentro do Vogue Square Life Experience, um agradável e luxuoso shopping, com diversas opções de restaurantes e algumas lojas. Adorei, quero voltar!

Serviço
BW Premier Américas Fashion Hotel by Lenny Niemeyer
Av. das Américas, 8585 • Barra da Tijuca- Rio de Janeiro – RJ • CEP: 22793-081
Tel: + 55 21- 36093300
Diárias a partir de R$300 (Baixa temporada)

Curta e siga:

Parintins e sua fascinante rivalidade centenária.

Já faz 10 dias que eu voltei de Parintins e ainda continuo em “Estado de Graça” por todas as emoções que vivenciei em três dias, uma das festas folclóricas mais importantes do nosso país. Por anos eu assisti de longe esta ópera amazônica com uma curiosidade florida em meus pensamentos e mal podia imaginar que o universo tão sábio colocaria em meu destino uma das experiências mais incríveis da nossa cultura.

Tudo deve ser vivenciado com ternura e curiosidade, a cidade é muito acolhedora e logo nos primeiros minutos você vai perceber que as duas cores dividem a ilha. O ponto mais importante do festival sem dúvida alguma é a disputa entre dois bois folclóricos, o Boi Caprichoso, de cor azul, e o Boi Garantido, de cor vermelha. Durante as três noites de festa os dois currais exploram as temáticas regionais através de encenações que irão deixar qualquer um boquiaberto, e já te adianto: o duelo é acirrado!

A rivalidade iniciou-se oficialmente em 1965, e desde então o belíssimo evento se repete todo mês de junho, mas na real o borogodó entre os dois “bois” já rola há muito mais tempo. Dizem por aqui que a treta tem 100 anos! Com fantasias e músicas, os bois já encenavam a lenda de Catirina, uma roceira grávida e com desejo de comer língua de boi. Para satisfazê-la, seu marido, Negro Francisco, sacrificou o boi predileto do patrão, que ameaça matá-lo. Quem salva tudo é um Pajé, que ressuscita o bicho e garante um final feliz.

Caprichoso

O primeiro boi a representar essa história foi o Garantido, fundado em 1913. Nove anos depois, em 1922, apareceu o boi Charmoso, renomeado como Caprichoso em 1925. O Garantido é conhecido como “boi do povo”, por ser bem popular e manter o ritmo tradicional das músicas típicas. O Caprichoso é o “boi elitista”, e tem canções mais aceleradas e modernas.

No início, a disputa era informal e rolava no centro da cidade. A coisa virou uma superprodução comparável aos desfiles das escolas de samba, e em 1988 passou a acontecer no “bumbódromo” – um tipo de estádio com o formato de uma cabeça de boi estilizada. Nas três noites de disputa, o espetáculo chega a atrair 100 mil pessoas.

Garantido

Algumas curiosidades devem ser ditas antes de se jogar nesta ilha mágica.

A torcida de cada boi ocupa metade do bumbódromo e participa ativamente do desfile. Quando seu boi está na arena, vale caprichar na coreografia e na animação para garantir pontos no desfile. Quando é a vez do boi contrário, silêncio total. Se um adversário vaiar, seu boi perde ponto.

Cerca de 3 500 integrantes de cada boi desfilam por noite, divididos em 30 “tribos”, o equivalente às alas de uma escola de samba. Os destaques são a porta-estandarte, que leva o símbolo do boi, e a cunhã-poranga, que representa a índia mais bonita da tribo. Toda noite é um espetáculo diferente!

Cada boi desfila por três noites, em apresentações de duas horas e meia a cada dia, e mudam as alegorias e as alas. As coreografias de cada boi são ensaiadas durante seis meses nos chamados “currais”, o equivalente às quadras das escolas de samba

Cada boi tem um apresentador ou “mestre-de-cerimônias”, que narra com um microfone cada passo do enredo desenvolvido com as alas e alegorias. Neste ano, o boi Caprichoso trouxe um apresentador de 17 anos, que é irmão do mestre-de-cerimônias do Garantido.

O boi vencedor de cada ano é decidido por um grupo de nove jurados, em geral especialistas em antropologia e folclore. Eles avaliam 21 itens, como desempenho do apresentador, ritmo das baterias, evolução do boi-bumbá e a beleza das alegorias.

Em Parintins, cada boi canta de 15 a 22 canções típicas curtas e de melodia simples sobre a lenda do boi-bumbá. Para acompanhar a letra, cada boi conta com uma bateria de 400 a 600 músicos.

E uma última intervenção amiga, não se atrase, cada segundo desta festa mágica e sagrada e assim que ela se iniciar você ficará deliciosamente paralisado pelas próximas seis horas. Se eu penso em ir de novo? Sim, mas na vida entendemos que certas coisas podem acontecer somente uma vez e se for este o caso, eu serei eternamente agradecida pelo fascínio desta rivalidade centenária. Só tenho flores para os bois bumbás. Se você tem vontade de ir, faça uma gentileza à sua alma, não adie mais!

Até 2019 Parintins, se Deus quiser!

 

Agradecimentos Especiais: Amazonastur, Kellen Felix e Kecya Felix.

 

Curta e siga: